ESPECIAL COVID-19

"Abrantes neste momento é um polo artístico através do Creative Camp"

2017-07-10

Pelo quinto ano consecutivo, Abrantes recebeu o 180 Creative Camp, que decorreu de 2 a 9 de julho e que teve uma programação organizada em três eixos: Academia, Fábrica e Festival.

A Criatividade em Abrantes foi apresentada na passado dia 5 de julho, no Jardim da República, numa conversa entre alguns agentes locais e 43 participantes do 180 Creative Camp.

Thomas Mandl, do “What Else Europe”, juntou-se a Paulo Estrada, da Sofalca, Lurdes Martins, da Associação Palha de Abrantes, Carlos Bernardo, responsável pelo Blog de Viagens “o Meu escritório é lá fora” e Paulo Passos, designer em Abrantes.

Paulo Estrada

Paulo Estrada referiu que “o canal 180 e o Creative Camp, desde que vieram para Abrantes, têm trabalhado com a Sofalca”.

O empresário explicou à Antena Livre que “este ano fomos convidados a fazer esta apresentação para transmitir, sobretudo aos estrangeiros, o que é saber fazer a cortiça”.

O empresário considerou a conversa “interessante” e salientou a importância de dar a conhecer aos presentes as “capacidades que a cortiça tem, sendo um produto feito aqui em Abrantes”.

“Hoje, conseguimos fazer coisas que eram impensáveis há meia dúzia de anos”, aludiu o responsável, referindo que é necessário “respondermos aos desafios dos criativos”.

Paulo Estrada disse ainda que os criativos demonstraram interesse em conhecer a Sofalca, “em visitar a fábrica, ver um produto que é 100% natural e como é que ele é feito”.

Lurdes Martins

Lurdes Martins, da Associação Palha de Abrantes, apresentou alguns dos filmes realizados no âmbito do ANIMAIO e falou sobre a importância de envolver os mais jovens na produção dos mesmos.

Por sua vez, o designer Paulo Passos, em declarações à Antena Livre, explicou que no ano passado escreveu no Jornal de Abrantes sobre este tema, onde deu conta que sempre se sentiu à margem do Creative Camp.

“Gosto do Creative Camp. Sou a favor, mas acho que as pessoas de Abrantes às vezes se sentem marginalizadas, à margem do que é o Creative Camp”. Contudo, Paulo Passos afirmou que o evento é “uma mais-valia”. Porque dá a conhecer “os projetos que existem em Abrantes no campo criativo”

Quanto à edição de 2017 do 180 Creative Camp, o designer avançou que se tratou de uma “semana muito colorida, com jovens que vieram e que se diferenciariam dos demais, que habitam a cidade o ano inteiro”.

O designer salientou que Abrantes está a precisar de um espaço que seja “a sede do Creative Camp”.

Um espaço onde se pudesse ver todos os trabalhos que foram feitos ao longo destas cinco edições. O Creative Camp para além das obras físicas trouxe a Abrantes, vários artistas de renome que ficaram esquecidos no tempo, explicou o designer, dando conta que era muito bom ter “um espaço com tudo o que foi feito, um arquivo criativo”.

“O Creative Camp marcou Abrantes a nível nacional e até internacional no que diz respeito às artes. Abrantes neste momento é um polo artístico através do Creative Camp isso é inegável, pelo esforço que fazem para divulgar a obra que deixam”, concluiu Paulo Passos.

Paulo Passos

Luís Stoffel estudou na ESTA, Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, e participa desde a 1ª edição no Creative Camp. Atualmente, o seu papel passa por organizar os voluntários, os anfitriões e a logística do evento.

 “Estou a ajudar em diversas situações. Conheço bem a zona e algumas pessoas. E caso surjam alguns pequenos problemas, tento resolver”, referiu.

“Tem sido uma aventura”, afirmou o responsável, avançando que “nunca tinha estado ligado ao mundo criativo como o Creative Camp inspira ser”.

Luís Stoffel disse que um evento deste género já fazia falta à cidade e que apesar de decorrer somente numa semana “é muito importante para a comunidade”.

“As pessoas saem à rua e perguntam o que está a acontecer. E depois fica sempre um marco, quer seja numa parede, numa instalação, seja onde for”, aludiu.

O 180 Creative Camp terminou no passado sábado, dia 8, com um dia de workshops. As intervenções e obras artísticas desenvolvidas, pelos criativos foram conhecidas, ao final da tarde, pelo centro histórico da cidade. O Creative Camp despediu-se da 5ª edição com a atuação do hip hop do Conjunto Corona, às 22h00, no Skate Parque.

 

Fátima Saraiva_Estagiária ESTA

Crédito foto de destaque: Canal 180

2017-07-10