ESPECIAL COVID-19

Abrantes tem despesa de 750 mil euros com medidas em relação à COVID

2020-09-16
Créditos: Antena Livre/Taras Dudnyk
Créditos: Antena Livre/Taras Dudnyk

750 mil euros é o valor que o município de Abrantes já gastou nas várias medidas relacionadas com a pandemia. Segundo um relatório da autarquia, entre março e agosto, e nas várias medidas e ações do município, há um registo de uma despesa direta de 749 mil euros. Deste total 425 mil euros dizem respeito aos descontos diretos ou isenções na fatura de ambiente dos Serviços Municipalizados de Abrantes entre abril e junho.

Estes documentos tinham sido solicitados pelo vereador do PSD Rui Santos e na última reunião do executivo, a 15 de setembro, o presidente da Câmara, e do conselho de administração dos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA), apresentou os valores segmentados em todos os investimentos ou despesa relacionada com as medidas de combate ou prevenção do coronavírus no concelho.

Se em relação aos SMA havia uma previsão de despesa da ordem dos 250 mil euros, verificou-se, contas feitas, que os descontos e isenções levam a que o município assuma o pagamento de 425 mil euros que os munícipes e empresas pouparam nos três meses.

Aliás, segundo o presidente da Câmara de Abrantes, ainda há alguns acertos a fazer, entre débitos e créditos de munícipes, uma vez que as faturações bimestrais levaram ao surgimento de situações que não estavam previstas. Ou seja, haverá munícipes que só tiveram dois meses de desconto ou isenção por via do sistema informático de faturação dos SMA. Nestes casos, depois de apurados esses valores, será feito um crédito para que não sejam prejudicados em relação à medida aprovada e colocada em prática. Em contraponto haverá outros munícipes que tiveram quatro meses de desconto, ou seja, um mês a mais em relação ao aprovado. Nesses casos será feito o acerto e os munícipes nestas condições vão ter de pagar o mês que não lhes foi cobrado.

Explicações do presidente da Câmara de Abrantes sobre as despesas com a COVID-19

Segundo Manuel Jorge Valamatos trata-se de uma questão técnica do software de faturação que só foi detetado nesta altura e que tem estado a ser corrigido para resolver estas questões.

De qualquer forma o presidente da Câmara referiu que houve um valor muito mais elevado nesta “despesa” a suportar pelo município já que havia uma previsibilidade de estar envolvida uma verba de 200 ou 250 mil euros. Nesse sentido foi aprovada uma alteração orçamental por via destes acertos nas contas do município.

 

Máscaras e luvas levam fatia de 140 mil euros

Quanto aos outros investimentos ou despesas relacionadas com a pandemia a aquisição de máscaras e luvas levou a uma despesa de 139 mil euros nestes seis meses. Há a notar o maior investimento em julho, 80 mil euros, quando passou a ser aconselhado o uso de máscaras em locais públicos ou na rua.

Estas aquisições foram feitas para uso interno, para as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), bombeiros e ouras estruturas da comunidade. Nestes pacotes estão integradas as máscaras comunitárias que foram distribuídas pela população.

Já no que aos testes diz respeito o Município de Abrantes tem uma fatura de 19 575 euros. Recorde-se que os testes a todos os funcionários de IPSS's, forças de socorro e funcionários da autarquia e juntas de freguesia foram suportados pela Câmara Municipal. E Foi uma despesa registada em julho, quando começaram a ser levantadas as medidas de confinamento a que o país esteve sujeito.

Neste período de confinamento foram feitos trabalhos de desinfeção e higienização de locais públicos, o que representou um gasto de 27 mil euros.

Neste setor o Município teve uma fatura de quase 200 mil euros.

Em termos de refeições de apoio social há um gasto nestes meses da ordem dos cinco mil euros. Trata-se de um apoio direto às famílias.

Já na educação, seguindo este relatório a que a Antena Livre teve acesso, há a notar um investimento de 15 mil euros em tablets em maio, na altura em que foram retomadas as atividades letivas com grande parte dos alunos a ter ensino à distância ou em casa.

Neste sentido houve também a necessidade de aquisição de serviços de internet para alguns dos alunos o que representou uma despesa de 13 mil euros.

Já a aquisição de refeições ou bem alimentares para as famílias cujos alunos têm apoio social escolar representou uma fatura de 18 mil euros. Contas feitas, nestes seis meses o Município de Abrantes teve um registo de despesa na educação na ordem dos 47 mil euros.

Já noutro tipo de apoios sociais às famílias, instituições desportivas ou culturais houve um registo de gastos de 51 mil euros.

Há ainda neste relatório de despesas com a COVID-19 uma despesa de 20 mil euros em diversos tipos de aquisição de serviços.

No somatório total, em seis meses, desde que começou a pandemia e o estado de emergência em Portugal, o Município de Abrantes tem uma fatura de gastos de 750 mil euros.

2020-09-16