ESPECIAL COVID-19

Abrantes: Voto de pesar pelo falecimento de José Dinis aprovado por unanimidade (C/ÁUDIO)

2021-01-26

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou, esta terça-feira, dia 26 de janeiro, por unanimidade um voto de pesar pelo falecimento de José Joaquim César da Cruz Dinis.
José Dinis era natural de Abrantes e assumiu-se sempre como homem da cultura, principalmente dos livros. Durante anos e anos levou a biblioteca móvel Calouste Gulbenkian por essas terras fora criando hábitos de leitura em centenas de jovens, que hoje o recordam como o senhor que deixava sugestões de leitura.
José Dinis morreu na semana passada e de acordo com informação avançada pelo presidente da Câmara de Abrantes há várias propostas em cima da mesa para homenagear este homem de cultura.
Uma delas, segundo Manuel Jorge Valamatos, foi apresentada pelo médico José Tavares passa pela atribuição do nome José Dinis à Biblioteca Itinerante de Abrantes (BIA) que, tal como a Citroen da Gulbenkian n.º 32, continua a levar livros e a possibilidade de leitura a todos os cantos do concelho de Abrantes
A proposta está em cima da mesa e é a atribuição do nome de José Dinis à biblioteca móvel de Abrantes. Para já foi aprovado por unanimidade um voto de pesar pelo falecimento de José Dinis.

Manuel Jorge Valamatos
Conhecemo-lo sobretudo da Biblioteca Itinerante Nº 32, da Gulbenkian, em que trabalhou durante 30 anos (1963-93). A partir de Abrantes, ajudou gerações de jovens e adultos a trilhar os caminhos da leitura, nos concelhos de Abrantes, Sardoal, Mação, Vila de Rei, Ponte de Sor e Gavião. Era o Senhor José Dinis. Gentil, atento, informado, era um amigo. Um homem de grande sensibilidade. De uma profunda devoção pelos livros, era um bibliófilo.
Era também conhecido como dentista, com consultório aberto no centro histórico da cidade, que herdou do pai.
Antes do 25 de Abril, foi um ativo militante local da oposição e depois participou no MDP/CDE e, se não erro, no PRD.
Tinha sempre uma boa estória para contar e parecia uma enciclopédia sobre carros e aviões, navios e comboios.
Nasceu em Abrantes e morreu, no passado dia 11, com 87 anos, em Coimbra onde foi cremado.

 

2021-01-26