Gripe Aviária: Barquinha: Detectado foco de gripe aviária H5N1 no parque ribeirinho

11/01/2022 às 16:50

Há um novo foco de gripe aviária detetada no Parque Ribeirinho de Vila Nova da Barquinha. De acordo com a informação disponível o Município adianta que houve a deteção do vírus de alta patogenicidade H5N1.

A informação foi avançada pela Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha nesta terça-feira, dia 11 de janeiro, com apelos aos munícipes para não alimentarem os animais no parque ribeirinho e para evitarem a aproximação dos mesmos.

No comunicado da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha revela que tem estado em contacto permanente com a Direção-Geral da Alimentação e Veterinária (DGAV).

Nos conselhos aos munícipes é solicitado que não circulem nos perímetros sinalizados para que os mesmos “não sejam agentes de propagação do vírus para capoeiras ou cativeiros onde coabitem espécies que sejam atacadas por esta gripe”.

Por outro lado, a DGAV e a autarquia pedem aos barquinhenses para que mantenham as aves de capoeira ou em cativeiro “confinadas aos respetivos alojamentos de modo a impedir o seu contacto com aves selvagens”.

Esta situação foi detetada no último sábado, 8 de janeiro, quando foram encontrados alguns patos mortos no parque ribeirinho. De acordo com o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova da Barquinha assim que foram detetadas estas situações foram de imediato comunicadas à DGAV, até porque a direção-geral está no terreno a monitorizar a situação relacionada com o foco detetado no final do ano passado numa exploração de perus, nas Limeiras.

Os patos encontrados mortos no sábado foram enviados para os laboratórios da DGAV que informou esta terça-feira, dia 11, que existe ali um foco de Gripe Aviária.

Fernando Freire reuniu já hoje com a Proteção Civil Municipal e mediante estes factos foi decidida a interdição de todo o Parque Ribeirinho a visitas. Esta interdição estará em vigor até que haja uma informação oficial a fazer o levantamento da mesma e será sempre da responsabilidade da DGAV que é quem tem a responsabilidade técnica nestas matérias.

Como o parque ribeirinho fica na vila o autarca fez um apelo muito sério a todas as pessoas que tenham capoeiras com aves ou tenham animais em cativeiro que os confinem por forma a evitar contactos com aves selvagens. É que este vírus é muito contagioso e o confinamento das aves é a forma de evitar contágios e aumento destes focos de H5N1.

Fernando Freire, presidente CM Vila Nova da Barquinha

DGAV alerta que a gripe aviária é uma doença infeciosa viral das aves que atinge aves selvagens, de capoeira e outras mantidas em cativeiro. Algumas estirpes virais da Gripe Aviária são transmissíveis aos humanos. No entanto, para que tal aconteça, é normalmente necessária a ocorrência de contactos próximos entre as pessoas e as aves infetadas.

As medidas impostas pela DGAV (VER AQUI) serão levantadas mediante edital desta entidade.

Fernando Freire disse ainda que em relação ao foco detetado na exploração de perus, nas Limeiras, a situação está esta estabilizada e o foco terá tido origem numa outra exploração em Anadia. Mesmo assim o presidente da Câmara de Vila Nova da Barquinha pede a todas as pessoas que detetem qualquer morta que contactem de imediato o serviço municipal de Proteção Civil, no sentido de evitar propagação desta gripe aviária, que tem, de acordo com a DGAV, uma elevada patogenicidade.

Partilhar nas redes sociais: