Município Abrantes
PUB

Abrantes: Clubes de Caçadores de Arreciadas e Alvega recebem novas instalações

27/01/2022 às 17:02

No concelho de Abrantes existem muitas escolas antigas “que foram ficando desertas pela reorganização das estruturas escolares” e a Câmara tem vindo a cedê-las, através de protocolos, “quer às Juntas de Freguesia, quer a associações que desenvolvem ações importantes nas suas comunidades e são essas entidades que vão fazendo a manutenção desses imóveis e que dão vida e dinâmica a essas infraestruturas”. As palavras são do presidente da Câmara de Abrantes que, esta quinta-feira, 27 de janeiro, assinou mais dois protocolos e entregou mais dois edifícios a associações.

A antiga Escola Básica de Arreciadas passou para a responsabilidade do Clube de Caçadores Reunidos de Arreciadas e o antigo Jardim de Infância de Concavada está agora entregue ao Clube de Caça e Pesca de Alvega.

A manhã começou junto à antiga Escola Primária de Arreciadas que encerrou as suas portas no ano letivo 2018/19. De portas fechadas desde aí, vai agora receber os cuidados e a manutenção por parte do Clube de Caçadores Reunidos de Arreciadas.

João Maria Monteiro, presidente do Clube, agradeceu a cedência do imóvel, considerando que é uma boa medida “para o Clube, para a população, para a Câmara e para a Junta” pois trata-se de “um espaço que estava aqui abandonado e com a vinda dos caçadores e com as ideias que temos, pretendemos ter aqui não só os caçadores mas todos aqueles que precisarem da nossa ajuda”, referindo-se a outras associações ou mesmo atividades desportivas.

João Maria Monteiro explicou depois que a atividade do Clube não passa apenas pela caça, até porque “a caça é talvez o que se faz menos”. Referiu que este sector, “em termos económicos tem muito valor mas o que os caçadores fazem mais é cuidar da área envolvente”. A reserva de caça tem 3780 hectares de terreno o que faz com que “todos os caçadores, a Direção do Clube, quer na altura da caça , quer fora da altura, acabam por fazer uma vigilância em toda esta área, duas a três vezes por semana”.

Não esqueceu o “papel muito importante” de maio a setembro, com “a vigilância contínua” em época de incêndios.

Cuidar para que não haja atos de vandalismo nos terrenos onde a reserva está inserida acaba por ajudar também os proprietários que por sua vez “nos ajudam a nós e trabalhamos neste tipo de parcerias”. O Clube possui ainda uma carrinha com kit de incêndios que “estará sempre disponível tanto para o nosso concelho como para concelhos vizinhos. Vamos onde houver necessidade”.

Regressando à entrega da Escola ao Clube, João Maria Monteiro comprometeu-se “em deixar o edifício muito diferente daquilo que está agora” afirmando que “vai ficar impecável”. Não deixou de “pedir”, em caso de necessidade, que “a Câmara e a Junta de Freguesia nos ajudem”, falando em “troca de trabalhos”.

O presidente da União de Freguesias de S. Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo revelou que assim que soube que o Clube estava interessado no edifício, a Junta abdicou de o pedir à Câmara porque “é preferível serem eles a ocupar este espaço”, o que “também vai permitir à Junta que o outro edifício onde estava o Clube de Caçadores, e que é da Junta, possa vir a ter uma outra utilização, nomeadamente reforçar o apoio para a distribuição de alimentos que é feita em Arreciadas”.

Luís Valamatos colocou ainda a Junta de Freguesia na disponibilidade de “ajudar na restauração do edifício para que ele fique funcional porque realmente carece de alguma intervenção”.

Já o presidente da Câmara Municipal de Abrantes disse reconhecer “o trabalho do Clube de Caçadores de Arreciadas, ao exemplo do que acontece com outras associações de caçadores do nosso concelho. Reconheço verdadeiramente este trabalho de vigilância informal no nosso território (...) porque os olhos dos cidadãos são tão ou mais importantes que os das nossas forças de segurança”.

Manuel Jorge Valamatos lembrou o reforço do Município na questão dos kits de primeira intervenção aos incêndios com as Juntas de Freguesia. Disse o autarca que “é nosso objetivo num futuro próximo, seguramente antes do próximo verão, fazer alguns acordos de colaboração com as associações de caçadores e outras”. Recordou que “mesmo antes de se falar de kits de primeira intervenção, já vocês o tinham”, referindo-se ao Clube de Caçadores Reunidos de Arreciadas, um dos pioneiros nesta aquisição.

Quanto à entrega do imóvel, Manuel Jorge Valamatos explicou que estes edifícios são entregues “a associações que entendemos, pela sua atividade, dinâmica e responsabilidade, são boas pessoas para aceitar estas instalações ao serviço da comunidade”.

 

Clube de Caça e Pesca de Alvega muda-se para Concavada

A manhã prosseguiu com a assinatura de mais um protocolo de cedência de instalações. Desta vez, o antigo Jardim de Infância de Concavada reconverte-se na sede do Clube de Caça e Pesca de Alvega que deixa parte da antiga Escola Primária de Casa Branca, onde esteve nos últimos anos. O novo local permite mais atividades porque conta mais espaço e “já podemos fazer barulho e estacionar os carros”, coisas que se tornavam difíceis nas anteriores instalações, mesmo junto à EN118.

À chegada ao local já se ouvia música a anunciar que o dia era de festa e o cheiro que pairava no ar deixava antever que o petisco já estava a ser preparado.

Paulo Gonçalves é o presidente do Clube e agradeceu à Câmara Municipal a cedência das instalações porque este “era um objetivo nosso visto termos cerca de 200 associados de todo o país e as anteriores instalações não tinham condições porque estávamos a prejudicar, essencialmente, as populações com barulhos e também a fim de evitar acidentes rodoviários. Nós somos uma coletividade e não queremos prejudicar a população”.

Quanto às novas instalações, em melhores condições que o de Arreciadas, “já fizemos aqui algumas melhorias” e Paulo Gonçalves deixou “a promessa de que vamos olhar pelo espaço”.

Manuel Jorge Valamatos voltou a referir que a Câmara está a entregar estes edifícios “às pessoas certas” e a reconhecer o trabalho de “preservação dos ecossistemas” feito pelos caçadores. “Os caçadores não sujam a floresta, os caçadores protegem a floresta”, afirmou o autarca.

O Clube de Caça e Pesca de Alvega tem ainda outro protocolo em vigor onde cuida da antiga Escola Primária do Monte Galego, também na União de Freguesias de Alvega e Concavada, e que , durante o período de época de incêndios, serve de base logística às viaturas da AFOCELCA que integra o dispositivo nacional de defesa da floresta contra incêndios florestais (DFCI), da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC). Manuel Jorge Valamatos destacou esta “sensibilidade” do Clube e também prometeu estar atento à questão do kit de primeira intervenção, dizendo que a Câmara vai trabalhar nisso e pediu que “verdadeiramente, cuidem deste espaço para que a comunidade se sinta orgulhosa do que vocês fazem aqui e da responsabilidade que vocês têm”.

Os protocolos hoje formalizados são válidos por cinco anos e renováveis por iguais períodos de tempo.

 

Galeria de Imagens

Partilhar nas redes sociais:
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - agosto 2022
Jornal de Abrantes - agosto 2022
PUB