Município Abrantes
PUB

Constância: João Paulo Catarino visitou praia fluvial e garantiu que Castelo de Bode tem capacidade para abastecimento humano (c/áudio)

4/08/2022 às 16:04

O secretário de Estado da Conservação da Natureza e das Florestas, João Paulo Catarino, deslocou-se esta quinta-feira a Constância para uma visita, ainda que informal, à nova praia fluvial, perto da foz do Zêzere.

A praia foi inaugurada no início de julho e, na altura, o governante não teve agenda para vir à sua inauguração. No entanto, deixou logo, ao que conseguimos saber, a indicação de querer visitar o espaço.

A praia fluvial fica situada na margem esquerda do rio Zêzere, enquadrada no parque ribeirinho da vila e com acesso às águas límpidas e, em simultâneo, bem fresquinhas de um rio Zêzere quase a encontrar o Tejo.

Sérgio Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Constância, recebeu o secretário de Estado, num final de uma manhã nublada, e enquanto se dirigiram à praia e à beira da água do rio foi explicando o processo que levou a este desfecho. Relembrando que durante muitos anos houve o sonho de poder haver um açude para criar um espelho de água, o autarca disse que o mais sensato foi avançar neste sentido e que esperou dois anos para poder “abrir” a praia de Constância.

Recorde-se que Sérgio Oliveira, no discurso de inauguração, disse que a autarquia está preparada para colocar areia na zona da praia sempre que seja necessário. Trata-se, disse o presidente, de um investimento para poder ter um espaço classificado desta forma.

João Paulo Catarino teve oportunidade de conversar com os dois nadadores-salvadores presentes no seu posto de vigia. Mais acima da praia estava localizado o ponto de aluguer de canoas e pranchas de paddle.

“Eu adorei. É uma requalificação bem-feita e um esforço da Câmara Municipal” disse o secretário de Estado que depois vincou o caminho dos últimos 30 anos na qualidade da água em Portugal. João Paulo Catarino revelou que 85% dos portugueses têm saneamento básico e referiu-se à memória de como era o rio Nabão há 20 ou 30 anos e o que é hoje. “Isso permite-nos ter este recurso hídrico com esta qualidade” e que permite criar espaços destes e reforço de aposta na economia.

Ainda na dimensão ambiental, a qualidade da água nas torneiras é muito boa, à 30 anos era de 40%. O secretário de Estado disse que ainda há muita coisa a melhorar, mas é também muito bom que as autarquias façam o aproveitamento destes espaços para promoção do turismo.

 

Em declarações aos jornalistas, já depois da visita ao espaço turístico, João Paulo Catarino disse, a propósito do período de seca que estamos a viver, que a barragem do Castelo do Bode está com uma capacidade de 60% de armazenamento. “Não temos qualquer problema na barragem do Castelo de Bode. No Tejo, mais de 70% da água que passa aqui (em Constância) vem de Espanha por isso, depende sempre dessa disponibilidade”, afirmou João Paulo Catarino que disse que “Espanha tem vindo a cumprir os caudais.”

O governante disse que a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a sua congénere espanhola está a coordenar esta questão, mas destacou o facto de estarmos a viver um ano difícil pelo que deixou o apelo a todos para uma necessidade de poupança da água.

 

Quando questionado porque é que o governo não defende a revisão da Convenção de Albufeira, em vigor, o membro do governo vincou que se Portugal está numa situação de seca extrema e severa, Espanha está muito pior, na região hídrica do Tejo. Desta forma João Paulo Catarino explicou que num quadro destes não haveria melhorias numa renegociação dos caudais dos rios internacionais.

 

Recorde-se que a Convenção estabelece como órgãos de cooperação a Conferência das Partes e a Comissão para a Aplicação e Desenvolvimento da Convenção (CADC). Esta última é o órgão privilegiado para resolução das questões relativas à interpretação e aplicação da Convenção.

Esta quarta-feira os autarcas da Sertã, Oleiros, Pedrógão Grande e Pampilhosa da Serra manifestaram a sua preocupação ao Governo, com a possibilidade de haver um transvase de água da Barragem do Cabril para o rio Tejo.

Sobre esta reunião João Paulo Catarino garantiu que os autarcas vão ser envolvidos nas soluções que vierem a ser encontradas e voltou a confirmar que os estudos estarão concluídos no próximo mês de setembro. 

 

Esta quinta-feira o Jornal de Notícias publicou uma lista de Municípios, do interior norte e centro, que estão a começar a ter problemas com o abastecimento público e ponderam mesmo começar com cortes no abastecimento em determinados períodos. Sobre este tema João Paulo Catarino salientou que estes são sistemas municipais e que são os municípios a ter de tomar medidas de poupança de água.

Referiu-se ao concelho de Carrazeda de Ansiães, onde esteve nesta quarta-feira, para dizer que as medidas corretivas lançadas pelo Município permitiu poupar 17% da água que estavam a disponibilizar.

Depois disse que em Portugal temos um consumo médio per capita superior aquilo que os estudos recomendam.

Para além da prioridade que é o consumo humano João Paulo Catarino confirmou que há cada vez mais municípios a pedir o licenciamento para o uso das águas provenientes das Estações de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) para a rega de espaços verdes. O secretário de Estado disse mesmo que o governo incentiva a esta prática e deu o exemplo do Algarve em que há um hectómetro cúbico de aproveitamento das águas provenientes de ETAR para rega de campos de golfe. E explicou que espera que este valor possa subir para oito hectómetros cúbicos. “Essa é uma nova fonte”, destacou o governante. 

João Paulo Catarino teve ainda oportunidade de fazer uma visita à zona ribeirinha de Constância, nas margens do Zêzere e do Tejo, e depois pelo centro histórico da vila.

Galeria de Imagens

Partilhar nas redes sociais:
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - agosto 2022
Jornal de Abrantes - agosto 2022
PUB