ESPECIAL COVID-19

Mação: António Cotrim expõe “Rostos de Timor”

2017-01-09
Vasco Estrela e António Cotrim
Vasco Estrela e António Cotrim

Foi inaugurada este sábado, dia 7 de janeiro, a Exposição de Fotografia "Rostos de Timor", de António Cotrim, na Galeria do Centro Cultural Elvino Pereira, em Mação.

Na inauguração, o presidente da Câmara Municipal, Vasco Estrela, agradeceu a António Cotrim ter trazido a Mação uma Exposição de renome a nível nacional e o facto de que "Mação tem sido palco de várias iniciativas sobre este povo e têm tido lugar vários fatores que aproximam Mação e Timor" referindo haver no Concelho pessoas com relações familiares e estudiosos deste povo, particularizando Maggiolo Gouveia cujos restos mortais foram trasladados de Timor para Mação em 2004.

O fotojornalista António Cotrim agradeceu a possibilidade de ter em Mação uma Exposição que, como diz "não é minha, é nossa, pois onde quer que vá, há sempre alguém com uma ligação a Timor". Referiu ser uma "exposição simples de homenagem a um povo que lutou, morreu e conseguiu a sua liberdade".

“Foi uma fórmula simples de prestar homenagem a um povo que lutou, sofreu e morreu por um sonho. Este sonho era a liberdade de ter uma terra e um país”, afirmou António Cotrim.

A "marca de sofrimento e ao mesmo tempo de esperança", que António Cotrim encontrou nos rostos que fotografou em 2007 em Timor-Leste, fez surgir a ideia de realizar esta exposição que chega agora a Mação. "Rostos de Timor" reúne 24 fotografias que "mostram a nobreza do povo timorense”.

O fotojornalista explicou que “foi durante uma visita de trabalho que fiz a Timor que me apaixonei por aquele país, olhei para aquelas pessoas e notei em todos os rostos uma dignidade, apesar de tudo o que sofreram, mantiveram sempre o respeito por eles próprios e por nós. Sempre que ouviam falar em português, os corações abriam-se e o pouco que tinham, não hesitavam a dar”.

António Cotrim começou a trabalhar na área da comunicação social em 1974, tendo passado pelas agências noticiosas Lusitânia, ANOP, Notícias de Portugal e, atualmente, Lusa. Colaborou também com o semanário Tal & Qual e o desportivo Record.

O fotógrafo, além do Prémio Gazeta 2014, foi já distinguido com duas menções honrosas, uma do Clube Português de Imprensa, na categoria de fotorreportagem, em 2001, e outra do Prémio Europeu de Fotografia Fujifilm, na categoria de desporto, em 2004.

A Exposição pode ser visitada até 31 de janeiro de 2017 na Galeria nos dias úteis das 9h00 às 17h30 e ao sábado das 14h30 às 18h00.

 

2017-01-09