ESPECIAL COVID-19

Mação: Vasco Estrela apela a bom senso no uso de praias fluviais e garante que “a seu tempo e com as devidas condições” vão reabrir

2020-05-27
Praia Fluvial de Cardigos (foto de arquivo)
Praia Fluvial de Cardigos (foto de arquivo)

Com os dias de calor que se têm feito sentir nos últimos dias, muitas são as pessoas que aproveitam para ir até à praia ou, na região do Médio Tejo, à praia fluvial, para fazer face ao calor com um mergulho ou conviver com amigos.

No entanto, os tempos que vivemos são diferentes e é imperativo ter em mente duas coisas: primeiro, a época balnear ainda não começou e por isso não estão ainda em funcionamento os suportes de apoio necessários a banhistas nestes espaços. E, por outro lado, a pandemia de Covid-19 ainda é uma realidade na região – e com o número de infetados a aumentar nos últimos dias, aliás – o que faz com que Portugal esteja ainda em estado de calamidade (pelo menos, até 31 de maio).

Um estado em que, recorde-se, vigora um "dever cívico de recolhimento domiciliário" para a população em geral, independentemente da idade ou de uma pessoa apresentar ou não fatores de risco.

No entanto, o comportamento de descontração tem-se feito sentir e exemplo disso foi a significativa afluência de banhistas este fim-de-semana à praia fluvial de Cardigos, em Mação.

Uma situação que preocupa a autarquia, que relembra que as praias fluviais do concelho ainda não estão em condições de receber pessoas.

Em declarações à Antena Livre, o presidente do Município de Mação, Vasco Estrela, apela ao bom senso de todos aqueles que se deslocam a estes espaços para que não o façam enquanto ainda estão fechados e “sem qualquer tipo de segurança”, garantido que “a seu tempo e com as devidas condições”, estas infraestruturas vão reabrir:

Com a pandemia de Covid-19 e a inerente necessidade de distanciamento social, este ano a experiência de ir a uma praia fluvial tem de ser mais regrada, sendo necessário implementar novas medidas de modo a permitir usufruir destes espaços em segurança.

Vasco Estrela explica que vão ser aplicadas as normas definidas na legislação e seguidas as orientações da Direção Geral de Saúde, por exemplo, no sentido de limitar a lotação das praias fluviais, com “vigilância própria, eventualmente com a colocação de cancelas e limitação de parques de estacionamento”:

Também neste sentido, esta quarta-feira a autarquia reuniu com a APA – Agência Portuguesa do Ambiente, para perceber questões relacionadas com as praias fluviais e a legislação que saiu nesta matéria.

Vasco Estrela não escondeu a preocupação com esta questão das praias fluviais mas admite que “não conseguiremos nada se não houver colaboração das pessoas”.

“Não podemos pôr nenhum polícia, fiscal da Câmara, vereador ou presidente ao lado de cada uma das pessoas. A cada um de nós compete-nos fazer a nossa parte, sob pena de termos de tomar decisões mais drásticas, como o encerramento de praias ou coisas do género. Coisas que eu acho que ninguém quer fazer”, acrescentou o autarca.

Vasco Estrela garantiu que a Câmara está a fazer tudo para que no final do mês de junho (27) possam abrir “todas as praias fluviais” [Cardigos, Carvoeiro e Ortiga].

A este respeito, o vereador Vasco Marques, com o pelouro do Turismo, fez o ponto de situação das intervenções que estão a ser levadas a cabo ao nível das praias fluviais do concelho nesta fase de preparação da época balnear:

Parque de Campismo, em Ortiga, reabre com novas regras

Em reunião de Câmara, o vereador Vasco Marques deu também conta de que no próximo sábado, 30 de maio, vai reabrir o Parque de Campismo, em Ortiga:

Em declarações, o presidente do Município, Vasco Estrela, acrescentou que este ano o parque de campismo vai ter circuitos definidos e normas de segurança apropriadas, sendo que numa primeira fase de abertura vão começar a ser recebidas que têm lá permanência e os seus equipamentos.

Com uma lotação máxima de cerca de 200 pessoas, este ano o número permitido de campistas vai ter de ser reduzido a dois terços da capacidade total do espaço.

Também este ano, os bungalows não vão estar disponíveis, por razões de segurança, e vai haver limitação na sala de convívio e maior atenção em termos de limpeza.

Vasco Estrela espera que sejam atingidos os objetivos, que passam por “não haver nenhum problema nem nenhum foco [de Covid-19] no nosso concelho”.

Ana Rita Cristóvão

2020-05-27