Pandemia: Covid-19: Em dia de recorde nacional Médio Tejo com 737 contágios passa barreira dos 25 mil infetados (C/ÁUDIO)

5/01/2022 às 18:39

A região do Médio Tejo voltou a registar mais de meio milhar de novos contágios com o coronavírus. No país foram mais de 39 mil novos contágios e na região a Unidade de Saúde Pública do Médio Tejo (USPMT) deu conta de mais 737 novos contágios na região. O total acumulado de casos positivos ultrapassou os 25 mil, desde o início da pandemia. São agora 25.184 pessoas que foram infetadas com o SARS-CoV-2.

Os laboratórios detetaram estes 737 casos em Abrantes (122), Alcanena (58), Constância (13), Entroncamento (71), Ferreira do Zêzere (26), Mação (18), Ourém (181), Sardoal (17), Tomar (100), Torres Novas (113) e Vila Nova da Barquinha (18).

De acordo com a última atualização geral de dados da região, feita a 31 de dezembro, há 423 óbitos relacionados com o coronavírus e 19.573 pessoas que recuperaram da infeção provocada pelo SARS-CoV-2.

Com estes 737 contágios reportados nesta quarta-feira o número de casos ativos no território dos 11 concelhos passou a ser de 5.188. Estes casos estão localizados em Abrantes (632), Alcanena (312), Constância (40), Entroncamento (497), Ferreira do Zêzere (337), Mação (168), Ourém (1.302), Sardoal (82), Tomar (850), Torres Novas (830) e Vila Nova da Barquinha (138).

No que diz respeito a vigilâncias ativas, ou seja, pessoas que têm de ficar em confinamento porque contactaram diretamente com infetados há a registar uma diminuição de 61 pessoas. Desde março de 2020 a USPMT já decretou confinamento a 14.626 pessoas e levantou esse confinamento a 13.299.

As 1.302 pessoas em confinamento estão localizadas em Abrantes (183), Alcanena (124), Constância (10), Entroncamento (110), Ferreira do Zêzere (46), Mação (236), Ourém (120), Sardoal (39), Tomar (164), Torres Novas (256) e Vila Nova da Barquinha (14).

Os serviços hospitalares do distrito de Santarém reforçaram esta quarta-feira o apelo aos utentes para que não se dirijam aos Serviços de Urgência para confirmar testes positivos à Covid-19. É que a quantidade de cidadãos que fazem testes rápidos de antigénio para detetar o SARS-CoV-2 avançam depois para as urgências no sentido de confirmar estes “diagnósticos”.

Esta afluência, em grande número, está a aumentar a pressão sobre os hospitais por isso, a aumentar os tempos de espera nas urgências criando entraves aos doentes que acorrem aqueles serviços por emergências médicas.

“Não é conveniente que vão às urgências porque se pretendem uma segunda testagem não a fazemos e recomendamos que fiquem em casa, para evitar contactos e para se protegerem”, salientou Casimiro Ramos.

Os hospitais explicam que em caso de ausência de sintomas à Covid-19, o utente deve optar por outros meios de consulta, como utilizar o SNS24.

Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo, salientou, à margem da assinatura de um protocolo com o Hospital Distrital de Santarém, que os doentes Covid-19 em cuidados intensivos têm estado estabilizados nas últimas semanas, entre os 5 e os 6. Já os doentes internados em enfermaria têm tido um acréscimo. Têm sido 15 – 16 nas últimas semanas, mas nos últimos três dias já ultrapassou os 20 internamentos.

Ainda de acordo com o presidente do Conselho de Administração do CMHT há um aumento considerável de testes feitos para toda a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo. “Temos tido pedidos de lares, câmaras municipais e empresas”, destacou o administrador hospitalar vincando que a maior parte dos testes feitos, 85 a 90%, são infeções com a variante Ómicron.

Quanto aos internados Casimiro Ramos revelou que a maior parte dos internados têm vacina e os que estão em cuidados intensivos não têm vacina.

Casimiro Ramos, presidente CA CHMT

Portugal registou 39.570 novas infeções com o coronavírus SARS-CoV-2 nas últimas 24 horas, um novo máximo desde o início da pandemia, e mais 14 mortes associadas à covid-19, indicam números divulgados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico diário da DGS regista um novo crescimento do número de pessoas internadas em enfermaria, contabilizando hoje 1.251 internamentos, mais 48 do que na terça-feira, mas as unidades de cuidados intensivos verificaram uma diminuição nas últimas 24 horas (menos quatro), totalizando agora 143.

Os casos ativos voltaram a aumentar nas últimas 24 horas, totalizando 239.098, mais 25.349 do que na terça-feira, e recuperaram da doença 14.207 pessoas, o que aumenta o total nacional de recuperados para 1.241.849.

Das 14 mortes, seis ocorreram na região de Lisboa e Vale do Tejo, quatro no Centro e outras quatro no Norte.

Partilhar nas redes sociais: