ESPECIAL COVID-19

Covid-19: Mação lança novo pacote de apoio a empresas e cidadãos (C/ ÁUDIO)

2021-02-25

Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação, apresentou mais um pacote de medidas de apoio aos munícipes e às empresas do concelho, no âmbito da pandemia da Covid-19, aprovadas por unanimidade. A apresentação do pacote de medidas aconteceu esta quarta-feira na reunião do executivo municipal, depois de numa sessão anterior já ter sido aprovado um pacote financeiro para reforço do apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho e aos Bombeiros Voluntários.

Recorde-se que numa primeira fase a Câmara de Mação já tinha atribuído um pacote financeiro de cerca de 400 mil euros para diversas medidas de apoio aos cidadãos, empresas, aquisição de testes, de máscaras, de equipamentos de proteção individual e desinfeção de espaços públicos.

Agora, este novo pacote de apoios terá um valor estimado que pode oscilar entre os 100 e os 150 mil euros.

O presidente da autarquia notou, no entanto, alguns ajustes em relação aos apoios decorrentes do primeiro confinamento. Se nas rendas dos espaços comerciais e no IMI os empresários a ter de fazer o pagamento normal e depois, com prova dos recibos, serão ressarcidos pelo Município, já em relação ao pagamento da fatura da água terá de ser pedido o apoio. Ou seja, se no primeiro confinamento este apoio foi direto agora não será assim. Vasco Estrela explicou que antes a gestão do abastecimento de água era do Município pelo que pode ser aplicada a isenção direta nas faturas. Como agora a gestão é da empresa Tejo Ambiente tem de ser requerido esse apoio.

Os cidadãos deverão fazer o pagamento e, depois, nos serviços da autarquia requerer o apoio para os meses de fevereiro e março. Vasco Estrela explicou ainda que em relação aos meses de janeiro e junho já tinha sido acordado com a Tejo Ambiente essa isenção para o território deste concelho. Vasco Estrela salientou que, para quem peça este apoio, serão quatro meses de “poupança” na fatura da água.

Para as empresas que estão no Centro de Negócios de Mação e no Gabinete de Apoio aos Jovens Empreendedores haverá, tal como no ano passado, uma redução de 50% no pagamento do aluguer dos espaços.

Nuno Barreta, vereador eleito pelo PS, pergunta pelos apoios às IPSS. Vasco Estrela disse que esse apoio (IPSS e Bombeiros) já tinha sido aprovado na última reunião. Foram mais 23 mil euros (mil para os bombeiros) a somar a um outro pacote de 40 mil euros do ano passado que as IPSS do concelho receberam. O autarca espera que não seja necessário mais apoio extraordinário por causa da pandemia, mas deixou a certeza se tal por necessário “cá estaremos”.

Vasco Estrela, Presidente CM Mação

Recorde-se que após uma deliberação, em reunião de Câmara de 27 de janeiro, de dar um novo apoio às IPSS e Bombeiros com a aquisição de mais 25.000 máscaras cirúrgicas, na primeira quinzena de fevereiro, decorreu a entrega desse material para as Instituições, pelas técnicas do Serviço de Ação Social da Câmara Municipal de Mação. Esta ação englobou ainda a entrega de cerca de 1600 máscaras FFP2, assim como batas e luvas descartáveis.

A entrega de máscaras e de outro Equipamento de Proteção Individual (EPI) tem sido uma constante nos últimos 10 meses.

Com a remessa entregue em dezembro passado, a Câmara Municipal de Mação já tinha feito chegar às várias Instituições de Solidariedade Social, Santas Casas, Lares, Ares do Pinhal e Bombeiros, cerca de 44 mil máscaras e outro EPI, a que se junta mais este equipamento de proteção, totalizando cerca de 70 mil máscaras já entregues.

Na reunião do Executivo foi ainda deliberado o apoio de cerca de 23.000 euros às instituições de solidariedade social e aos Bombeiros para “ajudar a suportar as muitas despesas adicionais que a Pandemia Covid-19 tem acartado a estas entidades”. Já em julho de 2020 tinha sido dado pela Câmara Municipal um apoio pecuniário extraordinário.

Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, sublinha “o reconhecimento ao enorme esforço e espírito de sacrifício que estas instituições estão a fazer para preservar a saúde dos mais vulneráveis”. Refere ainda que “este contributo visa mitigar os encargos financeiros que têm tido para alcançar aquele objetivo”.

2021-02-25