Município Abrantes
PUB

25º aniversário da Padaria Pereira: Cerca de 5.000 kilos de farinha por dia na arte de bem fazer

15/10/2018 às 00:00

Família Pereira: Tiago, Manuel (pai) e Rui

Um incrível cheiro a bolos e a pão fresco não deixa margem para dúvidas: o local é uma fábrica de produtos de pastelaria e de padaria. Na zona industrial de Abrantes, o negócio da família Pereira produz sem parar com o objetivo de fornecer produtos para as suas lojas em que o cliente os adquire diretamente, mas também para abastecer a restauração e os supermercados. As quantidades de matéria prima falam por si: cerca de 5.000 kilos de farinha por dia e entre 30 a 35.000 ovos por semana. Rui Pereira, um dos filhos do fundador que está atualmente à frente do negócio, explica o que diferencia o trabalho das suas empresas das outras: “O nosso é tentar trabalhar diferente das outras fábricas e pastelarias, fazer um serviço diferente e melhor que conseguimos e temos de ver o preço e a qualidade.”

Tudo começou com a iniciativa de Manuel Carlos Pereira. “No início era eu e eu!” – conta o fundador da Padaria Pereira, que iniciou o seu negócio depois de ter uma padaria arrendada em Milreu, entre os seus 18 e 23 anos de idade. Nessa altura ainda entrou no negócio dos supermercados, mas não correu bem e voltou para as padarias. Encontrou uma no Vale das Mós e depois outra na Ortiga. Assim foi iniciando a construção de uma marca que é hoje sinónimo de qualidade na região. Dez anos depois comprou o edifício que atualmente funciona como a principal fábrica de bolos e de pão e a partir daí não mais parou. Ainda hoje ajuda em tudo o que é preciso. Para trás ficam estórias de tempos complicados. “Era muito mais difícil do que agora!”, garante Manuel Pereira enquanto recorda os dias em que tinha que ir buscar lenha de dia para os fornos funcionarem de noite.

‘Os Sabores do Ti Pereira’

 

A marca Pereira tem, atualmente, duas empresas: a ‘Padaria Pereira’ e ‘Os Sabores do Ti Pereira’, especialmente conhecida pelos bolos de aniversário, feitos à medida do cliente. Ao todo, têm cerca de 160 colaboradores. Rui Pereira, o filho do fundador que agora assume o projeto, orgulha-se da sua equipa: “são os melhores”. O empresário reconhece que nem sempre é fácil contratar pessoas. Aliás, essa será mesmo uma das maiores dificuldades do negócio. Porquê? Porque se trata de uma atividade que tem que estar a produzir 24 horas sobre 24 horas, sete dias por semana, o que implica horários um pouco fora do normal.

Quando procura alguém para se juntar à equipa, Rui Pereira valoriza três características: experiência, assiduidade e pontualidade. Entre os membros da sua equipa, o empresário tenta não fazer distinção dos seus funcionários e tratá-los todos de igual forma. Para além disso, a empresa dá formação aos seus colaboradores e dá a oportunidades de estágio a jovens dos cursos profissionais das Mouriscas e de Mação, para que aqui possam ter uma experiência no mercado de trabalho que lhes permita aprender e concluir o curso.

Muitos dos bolos da pastelaria produzidos na fábrica tiveram as suas receitas criadas pelo próprio Rui Pereira, sempre com a intenção de responder às necessidades do mercado e à procura por parte dos clientes. Para além dos restaurantes e supermercados que fornecem, a padaria Pereira trabalha todos os dias para os clientes que vão às suas lojas. Os clientes são habituais, mas há também muitos que vêm de Lisboa à procura, sobretudo, das famosas tigeladas. “Fomos sempre crescendo e a marca está aí . Fomos criando raízes, fomos fazendo produtos específicos e neste momento fazemos uma gama muito variada na área da pastelaria.” A área da congelação será, provavelmente, a próxima área forte.

Muitos dos bolos da pastelaria produzidos tiveram as suas receitas criadas pelo próprio Rui Pereira

 

Sílvia Cardoso, responsável pela qualidade da pastelaria e padaria Pereira, tem vindo a assistir e a participar no crescimento da empresa, onde trabalha há sete anos. Valoriza a boa relação que tem com os seus patrões e explica que o diferencial da empresa é a qualidade e a diversidade dos produtos. Se tiver que escolher um bolo, o seu preferido é o travesseiro de noiva. Já no campo da padaria, o que mais aprecia é o pão com adição de compostos, como a beterraba ou chia.

Uma visita ao interior da fábrica onde se produzem os pães, bolos e doces é uma viagem por cheiros e cores. Logo na primeira secção de produção, dois funcionários modelam croissants, no segundo piso um outro funcionário muito simpático confeciona e enfeita os bolos juntos de grandes mesas com enormes baldes de cobertura e glaces. Noutra secção, sete funcionários recheiam pães doces com cremes de maçã e coco. As grandes bandejas cheias de todos os tipos de produtos enchem a vista e aguçam o apetite. O trabalho é uma constante e assim será, também, no dia em que a padaria Pereira celebrar o seu 25º aniversário. “Não há vagar para festas! Eles (os funcionários) podem sempre comer os bolos que quiserem. Se não comem mais é porque não querem!” – remata, bem disposto, Manuel Pereira.

Reportagem de Inês Garcia e Vitória Thomazini, alunas de Comunicação Social/ESTA

 

Partilhar nas redes sociais:
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - julho 2022
Jornal de Abrantes - julho 2022
PUB