ESPECIAL COVID-19

Associação Empresarial quer atrair investimento belga para o Ribatejo (C/ÁUDIO)

2021-04-22

A Associação Empresarial da Região de Santarém quer captar investimento belga, em particular para produção, nesta zona, de bens alimentares que abasteçam os mercados daquele país, disse à Lusa o presidente da Nersant.

Domingos Chambel vai participar hoje num ‘webinar’ promovido pela Nersant e que vai juntar Rui Faria da Cunha, presidente da Câmara de Comércio Belgo-Portuguesa, Rui Paulo Almas, delegado da AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) em Bruxelas, e Lourenço Van Innis, representante de uma empresa de investimento imobiliário, numa sessão que contará com a presença do embaixador português em Bruxelas, Rui Tereno.

Segundo o presidente da Nersant, esta iniciativa insere-se num “trabalho mais amplo de divulgação das potencialidades da região, das empresas e dos produtos produzidos” junto de vários mercados internacionais.

Nestas iniciativas, a associação tem vindo a destacar a “centralidade” da região, “muito bem servida” de acessibilidades, já que se encontra na interceção de quatro autoestradas – A1, A23, A13 e A15 – e de “três eixos rodoviários importantíssimos” – as linhas da Beira Baixa e do Leste e o ramal de Tomar, com ligação à Linha do Norte -, a que se junta o terminal intermodal do Vale do Tejo, com todo o apoio logístico necessário, e o Ecoparque do Relvão, que assegura o tratamento dos resíduos gerados.

Por outro lado, Domingos Chambel apontou a importância de dar a conhecer a existência de cinco parques de negócios, “com lotes prontos a construir” e com o “apoio a 100% da Nersant a todos os investidores que tiverem interesse em vir investir nesta região”.

Domingos Chambel

O presidente da Nersant realçou a importância de setores como os dos curtumes, da extração natural da pedra, da construção civil, da indústria automóvel, a par de “uma forte componente agrícola, pela extensão e pelas terras altamente ricas, fertilizadas pelo Tejo”, o que é “bastante atraente para os belgas”, dado o volume de importações de bens alimentares daquele país.

“Vamos tentar convencê-los que, em vez de estarem a importar a alimentação que necessitam, [podem] vir investir nas nossas terras e criarem aqui os seus meios produtivos para poderem até exportar para o seu país”, declarou.

Domingos Chambel salientou o facto de presidir à maior associação empresarial de âmbito regional do país, com 3.000 associados, numa região que conta com 48.000 empresas e um VAB (Valor Acrescentado Bruto) superior a seis mil milhões de euros.

Acrescentou o facto de a região conter duas comunidades intermunicipais – a do Médio Tejo e a da Lezíria -, num total de 470.000 habitantes, com 142.000 empregos gerados e um Produto Interno Bruto (PIB) de sete mil milhões de euros.

“Somos uma região interessante, que tem todas as condições para as empresas e a economia internacional investirem. Somos um país bom para viver e trabalhar e uma região excelente para receber os investimentos estrangeiros”, porque “temos uma condição de vida que não se encontra muito facilmente por essa Europa”, afirmou.

Domingos Chambel afirmou que as várias iniciativas que têm vindo a ser desenvolvidas pela associação visam “duas frentes”, por um lado, encontrar mercados para a colocação do que é produzido na região e, por outro, “cativar investimento para a região”, num esforço para inverter o fenómeno da falta de população.

O ‘webinar’ "Fazer negócios no Ribatejo", que teve já sessões direcionadas para outros mercados internacionais (europeus, mas também Canadá, Brasil ou Dubai), insere-se num “projeto mais amplo”, o "Ribatejo Global", cofinanciado pelo Compete 2020, no âmbito do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e de que se destaca o encontro internacional de negócios Nersant Business.

Domingos Chambel afirmou que a edição deste ano desta iniciativa, que promove centenas de encontros diretos entre empresários da região e importadores e potenciais investidores de outros países, devido à pandemia, vai fazer-se, num primeiro momento, em junho, em formato virtual, tendo a associação anunciada para novembro uma versão presencial. 

Lusa

2021-04-22