ESPECIAL COVID-19

Loja Agrícola abre em Alferrarede e cria 15 postos de trabalho (C/ÁUDIO)

2020-10-10

Verde Soalheiro é uma loja agrícola que abriu portas este sábado, dia 10 de outubro, junto à Estrada Nacional 2, em Alferrarede. Trata-se de um investimento do empresário António Costa que já tem três unidades comerciais, em Ulme (Chamusca), Ponte de Sor e agora em Abrantes.

A aventura de António Costa começou em Ulme, no concelho de Chamusca, quando decidiu abrir uma loja de produtos direcionados à agricultura. De uma família ligada às artes da terra, o empresário levou a ideia para a frente, mas percebeu que seria preciso juntar mais alguma coisa, pois este setor tem uma sazonalidade muito marcada. E se, como diz, tinha uma procura grande na época das sementeiras, havia meses em que estava à míngua.

Daí que a segunda loja que abriu, na cidade de Ponte de Sor, maior que a primeira já tinha outras componentes da vida na terra. Para lá da especialização na agricultura juntou-lhe outros produtos que têm a ver com a vida rural.

Segundo disse à Antena Livre, a aposta em Ponte de Sor correu bem e levou-o a olhar para a região e percebeu que Abrantes tinham espaço para abrir um “hipermercado” agrícola ou do mundo mais rural. Se bem o pensou melhor o fez, embora os tempos de pandemia tenham atrasado um pouco o lançamento desta loja.

 

António Costa, empresário 

A Verde Soalheiro, em Abrantes, é a maior loja das três que o empresário já abriu. E juntou-lhe mais segmentos de mercado, sem esquecer a linha agrícola e veterinária. “No início tínhamos a vertente de trabalhar bem entre março e setembro e depois parávamos. Por isso criamos outro contexto. Temos uma oferta mais variada de produtos”, disse António Costa.

E o que é que pode encontrar para além da agricultura? Tem materiais para o jardim, entre árvores, flores ou outros materiais para criação e embelezamento dos espaços verdes. Depois acrescenta um leque variado na bricolage. Tem materiais de construção. Tem produtos para o lar. Tem uma área de produtos de consumo alimentar.

A abertura contou com a presença do vice-presidente da Câmara Municipal de Abrantes, João Gomes, do presidente da União das Freguesias de Abrantes e Alferrarede, Bruno Tomás, e de mais alguns convidados do empresário. 

Na visita à Verde Soalheiro António Costa foi explicando todas as vertentes deste espaço comercial

António Costa disse que “Abrantes precisava deste espaço” e salientou o investimento elevado nesta loja, onde existe ainda, no exterior, uma cafetaria. “São 15 postos de trabalho, para já, com formação e, caso haja necessidade [se o mercado o exigir] poderemos crescer ainda mais”, explicou o empresário. A loja tem acesso direto à EN 2, mas quem entrar pode seguir para as traseiras onde tem um enorme parque de estacionamento, com a particularidade de ter caixas de pagamento para as duas entradas no espaço interior. Quer se entre pela frente ou pelas traseiras.

O empresário destacou que o investimento financeiro foi avultado, não indicando o valor, mas há um grande investimento no potencial humano, nos colaboradores, porque “são elas que nos vão fazer crescer no futuro. São elas que atendem o público. São elas que ajudam o cliente a satisfazer as suas necessidades”, revelou o empresário.

Já sobre a componente de materiais de construção presente nesta Verde Soalheiro, António Costa explicou que o grupo empresarial já tem uma loja neste ramo em Ponte de Sor, a Previsor. “Achámos que no conjunto da componente agrícola, se juntássemos [aqui] as duas, as coisas podem acontecer. E fizemos isso em Abrantes”. E depois deixa a nota de que estão para ser competitivos também neste segmento.

Já no que diz respeito à área agrícola, António Costa revelou que tem duas áreas muito distintas. Há o profissional e o “amador”. Quando aos profissionais, os negócios podem ser feitos sem passar fisicamente pela loja. Ou seja, “podemos vender um camião de adubo que nem sequer passa por aqui, pela loja. É entregue diretamente nas propriedades”, diz o empresário, salientando que depois há o agricultor que tem a pequena horta e até o “agricultor de fim de semana”. E estes têm na loja os produtos e as explicações que entendam necessárias.

“Temos todos os pequenos agricultores e os grandes. E há cada vez mais pequenos agricultores. E queremos angariar esses clientes”, explica António Costa que aponta a expetativa de que estes “pequenos produtores” vão ser cada vez mais.

 

 

2020-10-10