Pesquisa Rápida

Abrantes: Rotary Clube e CHMT dão formação em Suporte Básico de Vida

2019-05-15

Uma formação sobre Suporte Básico de Vida foi ministrada a alunos da Escola Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, numa iniciativa do Rotary Clube de Abrantes, com o apoio do Centro Hospitalar do Médio Tejo e a presença da equipa de enfermeiros da VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação).

A atividade teve lugar na terça-feira, 14 de maio, e foi destinada a todos os alunos do 10º, 11º e 12º anos.

Júlio Miguel, presidente do Rotary Clube de Abrantes, lembrou que “esta ação começou há dois anos, este é o terceiro ano, e começou por dar formação aos alunos do 10º ano. No segundo ano, aos do 10º e 11º e este ano damos aos do 10, 11º e 12º anos. Ou seja, a ideia é que os alunos quando terminem o secundário, tenham já três anos de formação de Suporte Básico de Vida, ficando perfeitamente habilitados a dar o seu apoio se assim for necessário”.

Com uma equipa de 12 enfermeiros, foram cerca de 600 os alunos que tiveram acesso à formação.

A iniciativa seguiu depois esta quarta-feira para a EPDRA – Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes, em Mouriscas, para fazer a mesma ação aos mesmos anos de escolaridade, abrangendo um universo de mais de 400 alunos.

Quanto à relevância deste tipo de formação, Júlio Miguel avança que “no dia-a-dia, por vezes deparamo-nos com situações complicadas. A qualquer momento pode acontecer um acidente com uma pessoa e estes miúdos ficam com as noções básicas do que fazer até à chegada da equipa de emergência. Mesmo na chamada para o 112, aprendem o que devem dizer e o que devem fazer. Esta ação pode, efetivamente, salvar vidas”.

Rui Pereira, enfermeiro do Centro Hospitalar do Médio Tejo, explicou que “são manobras essenciais para recuperar uma vítima em paragem cardio-respiratória”.

Nesta ação, os alunos foram desafiados a “conseguirem avaliar e detetar uma situação de emergência, nomeadamente em paragem cardio-respiratória e, com os seus próprios meios, ou seja, o seu corpo, os seus braços e as suas mãos, ajudarem aquele coração a manter-se ativo e a bombear sangue para quando chegarem os meios de emergência, essa vítima tenha mais e melhores condições de ser recuperada”.

Rui Pereira considera “muito importante o treino pois, até nós, profissionais de saúde, quando deixamos de treinar, perdemos alguma capacidade de raciocínio rápido e alguma capacidade de sermos eficazes nas nossas ações”.

Segundo o presidente do Rotary Clube de Abrantes, estas ações de formação em Suporte Básico de Vida são para ter continuidade “enquanto tivermos o apoio do Centro Hospitalar do Médio Tejo, sem isso é impensável fazer este tipo de formação”.

Fotos: Carolina Ferreira

2019-05-15