Pesquisa Rápida

Festival da Lampreia: A rainha do Tejo está de volta a Mação

2020-02-14

Ela está aí novamente para deleite de todos os apreciadores.

Falamos, claro, da lampreia.

Para os amantes desta iguaria, o Festival da Lampreia de Mação surge como a época alta dos festejos. Começa a 28 de fevereiro e termina a 12 de abril.

A edição deste ano conta com os habituais oito restaurantes aderentes que estão prontos para receber os muitos apreciadores que procuram o concelho nesta altura do ano.

A apresentação oficial do Festival da Lampreia teve lugar esta sexta-feira, dia 14 de fevereiro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal, afirmou que o evento de 2019 foi um sucesso e que “pensamos que estão reunidas as condições para que este ano se repita”.

 

Festival passa por todas as freguesias

Distribuídos pelas freguesias de Mação, Ortiga e Envendos, os oito restaurantes cozinham a lampreia com algumas “particularidades, sobretudo na forma como ela é confecionada” tal como o arroz que a acompanha. Participam no Festival da Lampreia de Mação os restaurantes A Lena (Ortiga), A Recta Café Restaurante (Mação), Avenida “Pica – Fino” (Mação), Café Cristo (Envendos), Churrasqueira Norberto (Mação), O Bigodes (Ortiga), O Godinho (Mação) e o Solar do Moinho (Cardigos).

“Todas as freguesias do concelho de Mação participam neste Festival, o que também é um motivo de satisfação por parte da Câmara. Mesmo aqueles que têm menos tradição neste prato, por razões óbvias (…) mas que representa, por parte dos empresários, um empenho na dinamização do seu negócio”, disse o autarca.

 

Divulgar os produtos de Mação

A exemplo do que aconteceu nas edições anteriores, o Município vai proporcionar a todos os visitantes a prova gratuita dos produtos mais típicos do concelho, em concreto o presunto da Marca Mação e este ano, também as azeitonas, o mel e o azeite.

Um investimento de cerca de 10 mil euros que representa “um esforço por parte da Câmara na divulgação desta iniciativa que se traduzirá na promoção do concelho e dos próprios restaurantes. Iremos também aproveitar esta oportunidade para mais uma vez divulgarmos outro tipo de produtos da nossa terra”, explicou Vasco Estrela, adiantando que, este ano, ao abrigo de um protocolo com a AmarMação, “iremos ter expositores em todos os oito restaurantes com estes produtos e outros para que quem estiver interessado os possa adquirir, ajudando assim os nossos agentes económicos e os nossos produtores”.

O que o Município pretende com a aposta no Festival da Lampreia é “chamar pessoas ao nosso território e ao nosso concelho para que elas possam conhecer, possam gostar do que veem e do que vão, evidentemente, provar. É também uma forma que entendemos adequada de promover o nosso concelho”.

Devido à proximidade com o rio, o Festival está muito ligado à freguesia ribeirinha de Ortiga e Vasco Estrela deu conta de que o Núcleo Museológico de Ortiga tem a obra concluída e será inaugurado em breve mas que “estamos a desenvolver projetos junto ao rio Tejo, nomeadamente de rotas, como a Rota das Pesqueiras, a Grande Rota do Tejo e a requalificação da Praia Fluvial, que não sendo ainda uma realidade para este ano, temos fundadas esperanças que o sejam no próximo”.

A qualidade e quantidade da água no rio continuam a ser uma preocupação e apesar “de as coisas estarem mais ou menos estabilizadas”, o presidente confirmou que a lampreia que vai ser servida “segundo informações que tenho, não há ainda a possibilidade de ser do Tejo mas há a esperança que daqui a pouco tempo a lampreia suba para que possa ser apanhada na nossa região”.

Eleito como a “Estrela do Médio Tejo”, o tradicional Arroz de Lampreia é um dos pratos típicos do município de Mação sendo dos mais conhecidos e procurados por apreciadores de todo o país.

A lampreia ocupa lugar de destaque no programa gastronómico do concelho de Mação, a terra dos três “A’s” – assim chamado pelas “boas águas, bons ares e bom azeite” -, município com 14 quilómetros de margem ribeirinha e fortes tradições piscatórias, e onde os meses de fevereiro e março são passados com mostras de especialidades regionais à base dos peixes de arribação, que sobem o rio para a desova e dali não passam, por força do paredão da barragem de Ortiga/Belver.

O arroz da famosa lampreia volta assim a ser a rainha na mesa de oito restaurantes do concelho de Mação no âmbito do Festival da Lampreia, numa iniciativa da Câmara Municipal de Mação, com o apoio da Pinhal Maior.

 

O aumento do turismo no concelho

Há algum tempo que a aposta na valorização do território vem a ser pensada e começou pelas “paisagens, os rios, as ribeiras... as Rotas de Mação vêm ajudar a que isso possa ser uma realidade mas é evidente que temos sempre a pretensão que as pessoas possam circular pelo concelho”.

Vasco Estrela afirmou ter a noção que “para darmos o salto para que as pessoas venham visitar o concelho ainda temos um caminho a percorrer para criar melhores condições de atratividade”.

Mas 2019 já foi um ano muito bom para o turismo em Mação. “Provavelmente, foi o ano em que mais pessoas estiveram no nosso concelho na altura do verão. Passou despercebido mas o que o turismo e as unidades de alojamento local nos reportaram foi nesse sentido. Também os agentes económicos o sentiram e tudo isto nos leva a pensar que temos que começar a nos capacitar melhor para podermos responder a essa realidade”, disse.

No entanto, Vasco Estrela deixou “claro e de forma cristalina que não estou a embandeirar em arco nem a dizer que estamos com um boom turístico... não é disso que se trata. Começam é a haver sinais que importam recolher, analisar e perceber como é que podem ser trabalhados da melhor maneira e há, de facto, necessidade de potenciar aquilo que já temos e fazer mais alguma coisa. Esse mais alguma coisa passa por fazer o que já foi feito, por exemplo, no Castelo, na recuperação de moinhos... falta concretizar – já demos o primeiro passo com a aquisição da antiga fábrica de presuntos em Envendos – para podermos criar o Núcleo Museológico, também um conjunto de moinhos que já estão sinalizados em Cardigos, perceber como é que o Centro Geométrico que está no nosso concelho pode ser aproveitado... Há aqui um conjunto de pequenas grandes realidades que têm que ser olhadas para que possamos ser mais eficientes nesta matéria”.

O concelho de Mação possui atualmente 200 camas.

Patrícia Seixas

2020-02-14