Pesquisa Rápida

XVIII Feira Nacional de Doçaria Tradicional: O evento mais doce do ano chega a Abrantes de 25 a 27 de outubro

2019-10-08

Esta é daquelas notícias que só de ler já fica com água na boca.

Está a chegar a altura do ano em que Abrantes se torna na capital da doçaria portuguesa. Em que a rainha é, indubitavelmente, a Palha de Abrantes, acompanhada, claro está, pela Tigelada, pela Castanha Doce e pelas Broas Fervidas.

O evento mais doce do ano chega à eterna cidade florida no próximo dia 25 de outubro (sexta-feira) e prolonga-se até dia 27 (domingo), naquela que é a 18.ª edição da Feira Nacional de Doçaria Tradicional.

Este ano, o evento vai acontecer na recém-reabilitada Esplanada 1º de Maio, no centro histórico da cidade (junto ao tribunal).

Do Norte ao Sul do país, passando também pelas ilhas, são várias as iguarias da doçaria nacional que vão marcar presença nesta feira: as malassadas e os bolos levedos dos Açores; o pão-de-ló de Margaride e o de Ovar; as brisas do Tâmega e as queijadinhas de S. Gonçalo de Amarante; os ovos-moles de Aveiro; os pastéis de Tentúgal; as cornucópias de Alcobaça; os pastéis de feijão e o bombom de figo negro de Torres Novas; os queijinhos do céu de Constância; os coscoréis da Sertã; os rebuçados de ovo do Alto Alentejo e o bolo  fidalgo, o pão de rala e a sericaia do Alentejo.

No meio de tanto doce, o difícil é mesmo escolher... mas não é tudo. Este ano estreia-se nesta Feira Nacional de Doçaria Tradicional o pastel do Curral, vindo da Madeira, e regressam os sabores da Serra da Gardunha, através das compotas e dos licores.

Poderíamos ainda referir que vão marcar presença vários doces que existem um pouco por todo o território português, como o toucinho do céu, a barriga de monge e de freira, as cavacas ou os suspiros, mas o melhor mesmo é ir descobrir e provar por si.

Oficinas de Doçaria, Música e Desporto completam a Feira Nacional de Doçaria Tradicional

Sem esquecer os produtos da região como licores, mel, marmeladas e compotas, à ementa desta 18.ª Feira Nacional de Doçaria Tradicional pertencem também várias atividades, desde a animação infantil, exposições, música e práticas desportivas.

Para os mais curiosos, vão também existir oficinas de doçaria, onde vão ser ensinadas receitas tradicionais ou inovadoras, utilizando produtos da região.

As oficinas vão decorrer no último andar do Mercado Diário de Abrantes e a primeira acontece no sábado (dia 26) pelas 10h30, promovida pela Pastelaria Palha de Abrantes e com o intuito de aprender a fazer broas de batata doce (receita premiada no Food Lab 2018).

Também no sábado, pelas 16h00, a oficina volta a pôr mãos na massa com a coordenação da Escola EB 2,3/S de Mação. Já no domingo, dia 27, a EPDRA - Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Abrantes. As inscrições estão disponíveis no site da TAGUS em tagus-ri.pt .

E se degustar um doce é bom, com música ainda melhor.

Nesta edição da feira da doçaria tradicional, os espetáculos musicais serão dedicados à música tradicional portuguesa. Dia 25, a feira abre com a atuação do grupo de Cavaquinhos do Orfeão de Abrantes. No mesmo dia, pelas 21h30, atuam os Cant'Abrantes.

Já no sábado, dia 26, a noite será com os MONDA, um grupo que pegou nos sons tradicionais do Cante Alentejano e os misturou com as novas tendências musicais.

No último dia de feira, dia 27, a animação decorre toda a tarde com a presença já confirmada do programa da TVI Somos Portugal.

E depois de comer tantos doces, aquilo que sabia mesmo bem era fazer um bocadinho de desporto. Mais uma vez, a escolha é sua: a Caminhada Night Urban "Os Palhinhas", dinamizada pelo COA, dia 26 de outubro pelas 19h30; ou o passeio de BRR "Na rota da Palha de Abrantes", dia 27 de outubro, pela manhã, organizada pelos Branquinhos do Pedal. As inscrições para estas duas atividades devem ser realizadas através dos contactos dos dinamizadores das mesmas.

A Feira Nacional de Doçaria Tradicional é uma organização do Município de Abrantes, em colaboração com a TAGUS – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Ribatejo Interior. A concretizar-se desde 2002, o objetivo é "valorizar a rica doçaria tradicional e conventual de todo o país, colocando os doces locais junto de outros ícones portugueses". Diz a TAGUS que esta receita se tem "afirmado a nível nacional e mexido com a atividade económica local, revelando-se uma excelente oportunidade para atrair visitantes ao Centro Histórico de Abrantes".

Notícia relacionada: A receita da Palha de Abrantes - https://www.antenalivre.pt/noticias/palha-de-abrantes-quer-ser-uma-das-7-maravilhas-doces-de-portugal/

 

2019-10-08