ESPECIAL COVID-19

Abrantes: Câmara pede esclarecimentos sobre focos de poluição no rio Tejo

2017-11-15
Rio Tejo no dia 10 de novembro - Foto de Armindo Silveira
Rio Tejo no dia 10 de novembro - Foto de Armindo Silveira

Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara de Abrantes, disse ontem na reunião do executivo camarário que a Câmara pediu esclarecimentos sobre “a qualidade da água do Tejo e os focos de poluição” para tomar uma posição sobre o assunto.

“Pedimos informação à Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT), nomeadamente porque a CIMT na pessoa do seu secretário executivo, faz parte de um grupo de trabalho nomeado pelo Ministério do Ambiente sobre estas matérias”, referiu a autarca.

“Para além do que é veiculado na comunicação social e mesmo ontem o Ministro veio a público dizer que neste momento o problema do Tejo é mais uma vez a falta de água, ainda assim, a CIMT pôs por escrito à Agência Portuguesa do Ambiente para poder elucidar-nos sobre o que está a acontecer, que medidas é que já foram e estão a ser tomadas e o ponto de situação deste grupo de trabalho”, explicou Maria do Céu Albuquerque.

Reunião de Câmara desta terça-feira

Por sua vez, Armindo Silveira, vereador do BE, considerou que a Câmara deveria de tomar uma posição política sobre o assunto no imediato e considerou “lamentável o comportamento do Ministério do Ambiente”.

Reportando-se aos recentes episódios de mortandade de peixes no rio Tejo, o vereador bloquista referiu que esteve no local e que viu “centenas de milhares de peixes mortos e milhões deles ao cima de água a querer respirar”, referindo ser “inacreditável” a situação.

“Esta é uma situação que se arrasta desde 2015 e é inacreditável como é que depois da vinda dos deputados ao terreno, depois de ter sido criada a Comissão de Trabalho referida pela senhora presidente, que de facto não tenha acontecido praticamente nada. A única coisa que aconteceu foi a Centroliva, em Vila Velha de Ródão, já não fazer praticamente descargas no rio Tejo”, aludiu Armindo Silveira.

“É vergonhoso o que está a acontecer. Nós desmarcamo-nos destas situações e acho que a Câmara Municipal de Abrantes também devia de tomar uma posição politica acerca dos nossos conterrâneos de Vila Velha de Rodão”, sugeriu o vereador.

Em resposta Maria do Céu Albuquerque disse querer aguardar pelos esclarecimentos provenientes da Agência Portuguesa do Ambiente para depois assumir uma posição sobre o assunto.  

 

2017-11-15