ESPECIAL COVID-19

Abrantes: Centro histórico vai ter mais ruas cobertas e outras intervenções

2018-01-09

O centro histórico de Abrantes vai contar com mais intervenções no decorrer deste ano, no âmbito da estratégia de regeneração urbana do Município.

Uma primeira fase já foi concluída, com a instalação de coberturas e de passadeiras pedonais, outras fases surgirão, como explicou Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal de Abrantes, na reunião do executivo realizada esta terça-feira.

A autarca abrantina começou por referir que se trata de um investimento “assente na regeneração urbana do centro histórico de Abrantes onde começámos por fazer a instalação de umas coberturas de algumas ruas que estão sem trânsito há muitos anos, no sentido de valorizar essas ruas e nomeadamente os espaços disponíveis para o comércio já instalado”.

“Como também iniciámos a reabilitação dos pavimentos tornando-os mais cómodos e mais acessíveis para todos e todas, independentemente da idade, sexo ou condição física. Estamos a falar das passadeiras, nomeadamente nas ruas de seixo rolado que ofereciam grande dificuldade para quem a pé teria de as fazer. Esta primeira fase ficou concluída”, salientou a autarca abrantina.

Para uma segunda fase, Maria do Céu Albuquerque referiu que a Câmara quer reabilitar mais ruas, “sejam elas pedonais ou também transitáveis, mas queremos avançar para uma segunda fase cobrindo as restantes ruas que não têm trânsito no centro histórico”.

De seguida, a autarca avançou que o Município vai “chamar os privados, as telecomunicações e a EDP, para colocarmos os cabos aéreos num sistema de calha, que me parece ser o mais eficiente, nas fachadas dos edifícios, criando condições visuais mais atrativas. Ao mesmo tempo, deixando pontos de abastecimento de eletricidade, onde possamos instalar colunas com som para o exterior, mas também para podermos utilizar para a iluminação de Natal”.

“Com isto, vamos ter um investimento inicial, mas depois vamos passar a ter um investimento mais diminuto, porque assim a própria Câmara pode adquirir os equipamentos necessários para fazer a decoração natalícia”, vincou a presidente.

Quanto ao investimento autárquico previsto, a presidente avançou não ter “ainda essa estimativa”, mas garantiu que “estamos a falar de grandes investimentos na qualidade de vida das pessoas”.

A autarca lembrou que a estratégia para a regeneração urbana assenta em 3 pilares: “a residência, o condomínio residencial que queremos que seja de grande qualidade de maneira a proporcionar grandes condições para quem vive no centro histórico e para quem vem habitá-lo. Um Centro Comercial a céu aberto, aproveitando o comércio tradicional e também para os prestadores de serviço e uma estratégia assente no Turismo Cultural, tendo por base o património existente, como a valorização que estamos a fazer”.

“Queremos chegar ao Natal de 2018 com mais alguma coisa feita relativamente a estas fases que enunciei”, fez notar Maria do Céu Albuquerque.

2018-01-09