ESPECIAL COVID-19

Abrantes/PSD: Diogo Valentim vence e quer “organizar a casa por dentro”. Rui Santos considera que “é impossível unir o partido em Abrantes”

2018-01-15

Diogo Valentim venceu este sábado, dia 13 de janeiro, as eleições internas do PSD em Abrantes.

Diogo Valentim venceu com uma diferença de 12 votos. A sua lista obteve 53 votos, e Joaquim Simplício, que encabeçava a lista A, obteve 41 votos.

O novo presidente da Comissão Política da Secção de Abrantes do Partido Social Democrata (CPS) começou por afirmar que este é o “momento de reflexão, porque temos de perceber o que queremos para o dia de amanhã e há muitas coisas que teremos de repensar seriamente”.

“Aprender com o passado”, foi uma expressão que o novo presidente utilizou bastante nas suas primeiras declarações.  Para o responsável “o passado deve ser um processo de aprendizagem, para que não possamos vir a cometer os mesmos erros como aqueles que o PSD cometeu”.

Diogo Valentim afirmou estar centrado na preparação de um projeto autárquico para 2021, não confirmando, nem desmentindo uma candidatura à Câmara Municipal.

“O objetivo principal é o projeto autárquico de 2021. Podemos afirmar que já estávamos a trabalhar nesse projeto e esperamos iniciar esse trabalho já este ano. E não fazer como no passado de só começar a seis meses ou a um ano das eleições. Vamos já começar a trabalhar e já há pessoas dispostas a contribuir para que o PSD venha a assumir o seu papel no concelho”, vincou o novo presidente.

“É prematuro falar numa candidatura [à Câmara Municipal]. Como presidente da CPS terei de fazer primeiro um trabalho de retaguarda. Se existirem mais pessoas com mais condições para serem candidatos (…) não tenho qualquer tipo de problema que sejam essas pessoas”, acrescentou.

Questionado sobre a maneira como vai trabalhar com o vereador eleito pelo partido, Rui Santos, com o qual são conhecidas diferentes posições politicas, Diogo Valentim disse ser “prematuro estar a falar”.

“Neste momento, terei de analisar com a restante equipa para ver o que poderemos vir a fazer, seja com a vereação ou com os eleitos na Assembleia Municipal. Mas, isso é muito prematura estar a falar. Vamos analisar e perceber se temos condições para trabalhar em conjunto. Teremos de organizar primeiro a “casa por dentro”, pois saímos de um resultado eleitoral bastante negativo para o PSD”, fez notar.

Por último, o novo presidente avançou que tentará fazer “novas politicas internas” e começar “a pensar no exterior”, com “politicas externas que tenham implicação na vida das pessoas e na dinâmica do nosso concelho. Esse será um trabalho que iremos fazer de forma muito vincada para que possamos chegar a 2021 com um projeto muito equilibrado e competente”.

“O PSD precisa de ganhar crédito e ser respeitado pela população”, finalizou.

É impossível unir o partido em Abrantes”

Em jeito de balanço de mandato, Rui Santos, ex-presidente da CPS, afirmou à Antena Livre que “foi um mandato difícil”.

“É certo que os resultados autárquicos não foram os melhores. Todos nós temos essa consciência. Eu próprio o referi no plenário concelhio. No entanto, continuo a dizer que a gestão de uma CPS não é avaliada somente pelos resultados autárquicos”, referiu o responsável.

 

“Continuo a dizer com toda a firmeza que quando há uma maioria relativa a determinados assuntos, há determinadas pessoas que não conseguem acatar as decisões (…) e continuo a dizer que é impossível unir o partido em Abrantes”, vincou.

Rui Santos disse sair da CPS “de consciência tranquila” e que no seu entendimento, fez com a sua equipa “o melhor para o partido”.

“Recordo que quando entrei em janeiro de 2014, a concelhia de Abrantes tinha 152 militantes. Hoje, entrego a CPS ao Diogo Valentim com cerca de 230 militantes. Portanto, foi muito bom em termos de recuperação de militantes e de novas ideias que é isso que o partido e o concelho precisam”, lembrou.

Por último, e no que diz respeito ao trabalho que pensa desenvolver com os novos eleitos da concelhia garantiu que “será certamente uma ligação boa, porque acima de tudo nós somos militantes do PSD e acima de tudo está o partido e o concelho”.

A lista b vencedora destas eleições internas do PSD de Abrantes vai contar com a presidência de Diogo Valentim, seguido de António Lopes, vice-presidente, Ana Dias, vice-presidente, José Oliveira, secretário geral, Susana Martins, tesoureira, Manuel Oliveira, vogal, João Mendes, vogal, Rafaela Pedro, vogal e Alexandre Traquina, vogal.

Quanto à equipa da Assembleia de Secção é composta pela presidência de José Miguel Vitorino, seguido de Elza Vitório, vice-presidente e Ana Rico, secretária.

No que diz respeito às eleições a nível nacional, em Abrantes 49 militantes votaram em Rui Rio e em Santana Lopes 42, surgiram ainda 3 votos em branco.

Noticia relacionada:

http://www.antenalivre.pt/noticias/abrantes-diogo-valentim-e-o-novo-presidente-da-concelhia-do-psd/´

2018-01-15