ESPECIAL COVID-19

Abrantes: Rui Mesquita é o cabeça de lista à Assembleia Municipal pelo PSD

2017-03-11
António Castelbranco e Rui Mesquita
António Castelbranco e Rui Mesquita

Rui Mesquita é o cabeça de lista à Assembleia Municipal de Abrantes pelo PSD. A apresentação oficial do candidato aconteceu esta manhã na sede do partido.

Rui Mesquita não é militante do PSD, concorre como “absolutamente independente”. O candidato refere que se “identifica com o partido, que dá oportunidades aos independentes de terem a sua voz. Tem-me sido dada toda a liberdade para ter as minhas ideias, respeitando o tronco comum e a base primária das linhas da campanha”, explicou à Antena Livre.

Questionado sobre o motivo que o levou a ser candidato, Rui Mesquita respondeu que foi convidado e o que o levou a aceitar foi achar que pode contribuir “para que alguma coisa mude, não só na cidade em si mas, acima de tudo e sobretudo, no concelho. Temos que ver Abrantes como um concelho e não como uma cidade. É algo que tem sido muito esquecido nos últimos anos”.

Os problemas que aponta ao concelho também já estão diagnosticados. Rui Mesquita refere um concelho “desertificado, com falta de empregos, falta de oportunidades para os jovens, falta de propostas para as empresas se estabelecerem no concelho e falta de ideias para o turismo”. Afirma mesmo que Abrantes é “um concelho que tem todas as qualidades que a envolvência lhe dá e não as aproveita”.

Na Assembleia Municipal de Abrantes “não funciona a democracia”

Relativamente ao cargo ao qual se candidata, de presidente da Assembleia Municipal, Rui Mesquita diz haver atualmente “uma falta de democracia muito grande”.

Rui Mesquita afirmou que nas sessões da Assembleia Municipal de Abrantes “não funciona a democracia”. “Não se pode ter uma senhora presidente a falar uma hora e meia, para fazer com que os temas importantes da Assembleia sejam debatidos às três da manhã”, referiu, acrescentando que deve haver “um horário estabelecido para todos os intervenientes, de forma equilibrada”.

O candidato deixou quatro propostas caso vença a Assembleia Municipal: “ Não haverá mais comentários depreciativos sobre as intervenções dos cidadãos, desrespeito comum nos dias de hoje; não haverá mais comentários depreciativos sobre as profissões dos membros eleitos da Assembleia Municipal, como aconteceu em fevereiro de 2017; não haverá mais manobras dilatórias para cansar os membros eleitos da Assembleia Municipal e assim obstar em temas em apresso; não haverá o desrespeito pelos tempos regimentais pelo presidente da Câmara e irei estar muito atento à ordem de trabalhos, porque os temas fundamentais e importantes são para ser no começo e não final quando estão todos cansados de ouvir os intervenientes”.

Na sessão de hoje, o candidato pelo PSD deu conhecer alguns projetos que a candidatura social-democrata tem para Abrantes, fazendo referência à atribuição de três prémios, “que salvaguardarão a vinda de gente jovem e dinâmica”.

“Iremos atribuir um prémio de poesia e pintura com o nome Mário Rui Cordeiro. Iremos atribuir um prémio de arquitetura e construção com o nome Moniz da Maia. Uma das figuras maiores da construção em Portugal e responsável pela edificação do antigo mercado diário. E ainda iremos atribuir um prémio de jornalismo com o nome de Mário Semedo para pessoas que tenham atividades nesta área ao nível da inovação do Médio Tejo, do concelho e da cidade”, enumerou.

Rui Mesquita tem 56 anos, nasceu no Porto mas toda a sua vida foi vivida em Abrantes.

É viúvo, tem dois filhos, e a sua formação académica foi na área da Agronomia. No entanto, o percurso profissional tomou outra direção e seguiu-se a indústria farmacêutica. Setor onde ainda hoje trabalha mas agora como empresário por conta própria.

 

Na sessão de hoje, Rui Santos, presidente da Comissão Política, deu a conhecer os dois nomes que irão constar na equipa candidata à Assembleia Municipal, dando conta que o número 2 será João Salvador Fernandes e o número 3 Fernanda Aparício.

João Salvador Fernandes e Rui Mesquita

O presidente da Comissão Politica afirmou que caso “as eleições fossem na próxima semana”, a candidatura do PSD “estaria, neste momento, em condições de ir a eleições”.

O responsável avançou que as equipas candidatas “serão um misto do reforço do partido, mas também com independentes que sigam as linhas orientadoras quer da candidatura, quer da própria comissão política do partido. Haverão muitos independentes e todos eles compartilham da nossa ideia de tornar Abrantes viva”.

Em declarações à Antena Livre, Rui Santos disse que a equipa lidera por António Castelbranco candidata à Câmara Municipal de Abrantes irá contar com o seu nome, seguido de Renata Nader.

Reportagem radiofónica para ouvir esta segunda-feira, às 12h00, em 89.7 fm ou através do site www.antenalivre.pt

 

2017-03-11