ESPECIAL COVID-19

Vila de Rei: Câmara atribui 170 mil euros às associações e IPSS locais

2018-01-20
Reunião de câmara desta sexta-feira
Reunião de câmara desta sexta-feira

A Câmara Municipal de Vila de Rei aprovou esta sexta-feira, dia 19, na reunião do executivo camarário a atribuição dos apoios e subsídios às 25 associações e instituições locais.

À semelhança do ano anterior, o Município volta a poiar o movimento associativo, as IPSS do concelho e outras coletividades em cerca de 170 mil euros.

Ricardo Aires, presidente da Câmara Municipal, começou por afirmar à Antena Livre que as coletividades locais “merecem muito mais” pelo que desenvolvem na “sociedade vilarregense”. “Simplesmente temos restrições orçamentais e não podemos atribuir mais do que já estávamos a fazer”, fez notar o autarca.

Ricardo Aires lembrou que a atribuição dos apoios é efetuada mediante um regulamento municipal que estabelece as regras e os critérios para cada candidatura apresentada pelas associações e IPSS locais.

“Há um regulamento que refere os montantes [apoios possíveis] e conforme o plano de atividades destas associações é-lhes atribuído o devido apoio (…) Penso que este regulamento está bem feito e é justo”, reforçou o presidente.

Questionado sobre a dependência financeira das instituições à Câmara Municipal, o autarca considerou que caso não houvessem apoios talvez a exigência destas coletividades não ficaria “comprometida, mas muitas das ações que estas associações desenvolvem em prol da sociedade ficariam aquém do que é feito atualmente”, vincou.

Ricardo Aires lembrou as acusações dos eleitos do PS o ano passado quanto à atribuição destes apoios e disse que este ano “os apoios financeiros atribuídos são iguais ao do ano passado. Isto quer dizer que muitas vezes nos acusam de só atribuir mais em ano de eleições, mas como podem verificar não foi o caso”.

No decorrer da reunião de Câmara, foi aprovada por maioria, com a abstenção do vereador eleito pelo PS Luís Santos, a celebração de um protocolo que prevê atribuição de 580 euros mensais à Associação para o Desenvolvimento do Turismo e Lazer da Fundada, para a manutenção da praia e campo de campismo do Bostelim.

Praia Fluvial do Bostelim 

O vereador socialista justificou a sua abstenção por entender que o apoio concedido poderia ser atribuído somente durante o período estival, aquando o espaço recebe mais utilizadores.

Luís Santos ainda questionou a maioria PSD se a Câmara poderia assumir a manutenção do espaço, ao que Ricardo Aires respondeu que seria vantajoso que outras associações assumissem a manutenção de certos espaços, discordando da posição do vereador do PS.

À margem da reunião e em declarações à Antena Livre, Ricardo Aires lembrou que para existirem “ótimas condições naquele espaço, tem de haver manutenção. A associação para manter aquele espaço com as qualidades que pretendemos tem de contar com uma ajuda e com um protocolo celebrado connosco. Caso contrário, “é impossível a associação resistir” e cumprir com o seu propósito naquele lugar, vincou o autarca.

Com esta atribuição, o presidente afirmou que “a qualidade [do espaço] não ficará beliscada”.

2018-01-20