ESPECIAL COVID-19

Constância: ‘Villa Tejo Nature & Spa Hotel’ avança e representa 3,7 ME de investimento

2017-02-22

Cerca de 3,7 milhões de euros é quanto o empresário João Rosa vai despender na construção de um hotel ecológico em Constância, unidade que vai ser construída com o apoio de fundos comunitários, foi hoje anunciado.

O futuro hotel, que conta com comparticipação financeira de 1 milhão de euros de fundos comunitários, "vai começar a ser construído em março deste ano, com os trabalhos a prolongaram-se por 24 meses", estando a inauguração prevista para a primavera de 2019, disse à agência Lusa o promotor do investimento.

O projeto de construção do ‘Villa Tejo Nature & Spa Hotel’, um "hotel ecológico", empreendimento que "aguardava luz verde de acesso aos fundos comunitários", foi apresentado em outubro de 2015 no Centro Náutico de Constância perante cerca de uma centena de empresários, autarcas, decisores políticos e dos serviços descentralizados dos serviços do Estado, tendo sido sublinhada por todos a "pertinência e mais-valia" do projeto para a região do Médio Tejo.

O empresário João Rosa, natural do Entroncamento e residente em Constância, disse à Lusa que o projeto vem "colmatar uma lacuna" na região do Médio Tejo, tendo a experiência de seis anos de gestão da "Residencial João Chagas", no centro histórico de Constância.

"O nosso cliente quer ficar mais do que um dia em Constância e na região, porque temos coisas boas para visitar e para conhecer. Mas fui notando que faltavam as outras valências, para além do alojamento, como um restaurante, uma piscina ou um SPA, porque as pessoas gostam e procuram integrar no pacote de serviços que adquirem", destacou.

Relativamente ao investimento de 3,7 milhões de euros e à sua localização (o projeto vai criar 26 postos de trabalho diretos, em época baixa, números que duplicam na época alta), João Rosa disse que o concelho de Constância, "por si só, leva-nos a gostar de aqui estar, de aqui viver, e, também, de aqui investir".

João Rosa disse ainda estar disponível para, além dos 3,7 milhões de euros de investimento, com "retorno previsível ao fim de oito anos", investir um total de cerca de 5 milhões de euros em Constância ao longo dos próximos 15 anos ao nível de equipamentos e estruturas ligadas à hotelaria e turismo.

Júlia Amorim, presidente da CM de Constância, disse à Antena Livre que o novo hotel “vem resolver um problema da nossa região. Todos nós sabemos que as unidades hoteleiras para alojar 50 ou mais visitantes não são muitas. Temos o hotel dos Templários, em Tomar, felizmente o hotel de Abrantes está a mexer e com este ficamos com uma boa capacidade de resposta”.

“Cada vez mais, os fluxos turísticos têm de ser tratados numa perspetiva concelhia e regional”, acrescentou.

A autarca referiu ainda, que desde o inicio do processo, que o projeto `Villa Tejo Nature & Spa Hotel’ “foi bastante acarinhado pela Autarquia (…) O incentivo nem que seja ao mais pequeno investidor privado tem sido um esforço que a Câmara Municipal tem levado por diante”.

Promovido pela Vila Poema, Sociedade de Gestão Hoteleira, Lda, o "Villa Tejo Nature & Spa Hotel", a construir junto à A23, é assumido como um "empreendimento que se pretende integrar na envolvente natural, com uma ligação muito forte aos rios Tejo e Zêzere", sendo constituído por 28 quartos duplos, 10 suites, 5 suites premium com jacuzzi na varanda, SPA com piscina interior, jacuzzi, banho turco, sala de relaxamento e massagem com duche, restaurante, bar e um auditório, entre outros apetrechos que assentam nos cuidados ambientais.

No seu exterior, segundo o empresário, estão contempladas amplas áreas verdes de utilização comum, percursos pedestres e de btt, zonas de estacionamento, uma esplanada panorâmica, uma piscina exterior para adultos e crianças e um parque infantil aquático, para além de quartos com ambientes distintos: "a nossa oferta é diferenciadora e como tal vamos ter ambientes dedicados a colóquios, empresas e reuniões de negócios, um outro mais para as famílias, e um terceiro desenhado para os amantes da natureza e desporto aventura".

A unidade hoteleira será composta por "três corpos que se interligam em forma de «V», projetando vistas para a envolvente natural, o que lhe permitirá estabelecer uma cumplicidade com o meio onde se integra e que contribuirão para a sua valorização", destacou.

C/Lusa

2017-02-22