ESPECIAL COVID-19

Covid-19: 456 novos contágios no Médio Tejo com Ómicron a dominar os casos no laboratório do CHMT

2022-01-09

Nas últimas 24 horas os laboratórios da região fizeram a deteção de mais 456 contágios com o coronavírus, elevando o total de casos acumulados, desde que começou a pandemia, para as 27.915 pessoas infetadas com o SARS-CoV-2.

Os 456 casos identificados nas últimas 24 horas estão localizados em Abrantes (63), Alcanena (23), Constância (14), Entroncamento (58), Ferreira do Zêzere (20), Mação (9), Ourém (77), Sardoal (41), Tomar (58), Torres Novas (77) e Vila Nova da Barquinha (16).

De acordo com a atualização geral de dados da USPMT, feita na sexta-feira, dia 7 de janeiro, há um registo de 425, e 20.793 pessoas que recuperaram da infeção.

Já com os 456 contágios reportados neste domingo pelos laboratórios o número de casos ativos no território dos 11 concelhos da saúde do Médio Tejo foi atualizado para 6.697. Estes casos ativos estão localizados em Abrantes (884), Alcanena (405), Constância (93), Entroncamento (687), Ferreira do Zêzere (412), Mação (202), Ourém (1.502), Sardoal (161), Tomar (1.037), Torres Novas (1.104) e Vila Nova da Barquinha (215).

Ómicron já é responsável por 98% dos casos positivos no CHMT

A Variante Ómicron já é responsável por 98% dos casos positivos de infeção por COVID-19 detetados na primeira semana de 2022 (até 6 de janeiro) pelo laboratório do Serviço de Patologia Clínica do Centro Hospitalar Médio Tejo (CHMT).  

O CHMT é a primeira instituição do SNS com a deteção da variante Ómicron, baseada na deteção de quatro mutações por biologia molecular, validada pelo INSA (Instituto Nacional de Saúde Pública Ricardo Jorge). 

Em comunicado o CHMT revela que da análise em tempo real efetuada pelo Laboratório do Serviço de Patologia Clínica a todas as amostras positivas à COVID-19 é possível apurar que, na primeira semana do ano, na área de influência dos três hospitais do CHMT, que servem 250.000 utentes, “registaram-se oito internamentos em cuidados intensivos COVID-19, dos quais apenas um doente infetado com a variante Ómicron – doente esse que, entretanto, já teve alta para enfermaria.”

Ainda na mesma nota é referido que os “dados recolhidos e analisados pelo CHMT demonstram também que a variante Ómicron passou a ser a variante predominante na região do Médio Tejo a partir de 21 de dezembro do ano passado. O laboratório de Patologia Clínica do CHMT está a realizar a deteção de Ómicron desde o passado dia 12 de dezembro. Desde essa data, e até dia 6 de janeiro, foram detetadas 896 infeções por esta variante da COVID-19.”  

Mais de metade dos casos (53%) foram de pessoas na faixa etária dos 20 aos 49 anos. Uma fatia de 19% dos casos detetados foram na faixa etária acima dos 60 anos (e apenas 9% dos casos positivos eram de utentes mais idosos, acima dos 80 anos). Os mais novos, com idade inferior a 20 anos representam 15% dos casos variante Ómicron detetados pelo Laboratório do Serviço de Patologia Clínica do CHMT. 

2022-01-09