ESPECIAL COVID-19

Centro Hospitalar do Médio Tejo investe 4 milhões em eficiência energética

2020-06-18

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) avançou com o investimento num parque de painéis solares na unidade de Torres Novas, foi hoje anunciado.

Trata-se de um parque de 770 painéis que representa, segundo a administração do CHMT, um investimento superior a 300 mil euros. O CHMT deu ainda conta que aos painéis vai ser feito o investimento na reconversão de iluminaria interna do edifício, que incluí instalação de sensores de movimento, e ainda a instalação de novos sistemas de aquecimento e arrefecimento do edifício.

Com este investimento o CHMT nota de que promoverá uma diminuição de cerca de 5,500 toneladas de CO2, o equivalente à plantação de 18 mil árvores por ano.

Carlos Andrade Costa, presidente do Conselho de Administração do CHMT, salientou na apresentação da obra de instalação de painéis fotovoltaicos que ”esta instalação marca o início da revolução verde no Centro Hospitalar do Médio Tejo”.

A visita promovida pela administração da instituição hospitalar contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, Pedro Ferreira, tal como tinha acontecido anteriormente em Abrantes e Tomar, aquando da apresentação de investimentos para aquelas duas Unidades Hospitalares e onde participaram os respetivos presidentes dos dois municípios.

O total de investimento, agora concretizado na Unidade Hospitalar de Torres Novas, atinge quase um milhão de euros.

Carlos Andrade Costa vincou ainda que “começámos em Torres Novas esta reconversão energética que nos permitirá reduzir os custos com consumo de energia. Este edifício gasta 430 mil euros em eletricidade por ano. Conseguiremos atingir uma poupança de mais de 80 mil euros com a produção da energia solar. Um valor que será transferido para ser utilizado naquela que é a principal função de um hospital, que é na prestação de cuidados de saúde”.

O investimento, num total aproximado de 4 milhões de euros, abrange as três Unidades do Centro Hospitalar do Médio Tejo e deverá estar concluído no primeiro trimestre de 2021.

A finalizar a sua intervenção, Carlos Andrade Costa, deixou bem claro que este projeto “se reveste de grande importância na medida em que demonstra que o CHMT, apesar da pandemia não ficou parado, não suspendeu o plano de investimento, tendo até acelerado alguns investimentos”.

2020-06-18