ESPECIAL COVID-19

Abrantes: “O pensamento de Maria de Lourdes Pintasilgo é decisivo para pensarmos hoje os desafios do presente e do futuro” – Secretária de Estado

2018-01-19
Secre de Estado Rosa Monteiro e Maria do Céu Albuquerque
Secre de Estado Rosa Monteiro e Maria do Céu Albuquerque

Maria de Lourdes Pintasilgo foi homenageada, esta quinta-feira, dia 18, na Biblioteca Municipal António Botto, em Abrantes, no dia em completaria 87 anos.

A cerimónia, organizada pela Fundação Cuidar o Futuro e a Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, em parceria com o Graal, contou com a apresentação do  projeto ‘Ouvir o Presente, Cuidar o Futuro: Homenagear Maria de Lourdes Pintasilgo’.

O evento público iniciou uma homenagem nacional a Maria de Lourdes Pintasilgo, que se enquadra nas comemorações dos 40 anos da institucionalização da organização que precedeu a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG).

A Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, presidiu à cerimónia e em declarações à Antena Livre referiu que o mais importante é “realçar é a mensagem que Maria de Lourdes Pintasilgo deixou a todos nós e ao país”.

“Aquilo que é o legado, o contributo notável do pensamento e da ação politica e social de Maria de Lourdes Pintasilgo é qualquer coisa que temos de resgatar, dar visibilidade e reforçar a sua importância naquilo que ela tem hoje de atualidade”, salientou a governante.

Rosa Monteiro reforçou a ideia que “o pensamento de Maria de Lourdes Pintasilgo, as suas propostas para uma vida melhor e para uma vida boa, alicerçando este princípio numa politica de cuidado, é decisivo para pensarmos hoje os desafios do presente e do futuro”.

Questionada pela Antena Livre sobre os propósitos do projeto “Ouvir o Presente, Cuidar o Futuro: Homenagear Maria de Lourdes Pintasilgo”, apresentado na sessão, Rosa Monteiro disse esperar que “o projeto consiga encontrar a sua rede de parcerias, consiga encontrar mecanismos efetivos e eficazes que deem a conhecer a mensagem de Maria de Lourdes Pintasilgo a todas as gerações, também aos mais jovens, sendo esta a maior herança que o projeto de facto pode deixar”.

 

Margarida Santos, presidente da Fundação Cuidar o Futuro, Maria do Céu Albuquerque, presidente da CMA, Alexandra Silva presidente da Plataforma Portuguesa Para os Direitos das Mulheres e Maria António Coutinho presidente do Graal

Por sua vez, Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara de Abrantes, realçou o trabalho do Município para lembrar o papel politico e social de Maria de Lourdes Pintasilgo. “A Câmara desde sempre que se tem associado e tem feito um conjunto de iniciativas para lembrar esta mulher. Não pela memória em si [de Maria de Lourdes Pintasilgo], mas pelos valores que essa memória nos traz e que são perfeitamente atuais”, vincou.

“Aquilo que caracterizou a Maria de Lourdes Pintasilgo foi um pensamento muito à frente em relação ao seu tempo. E quando lemos os textos, que na altura eram textos acutilantes e controversos, hoje percebemos que são perfeitamente atuais”, fez notar a autarca abrantina.

A presidente registou o facto de ter sido Abrantes a acolher o início de uma homenagem nacional a Maria de Lourdes Pintasilgo. “Apraz-nos registar que a Associação Cuidar o Futuro e o Graal tenham escolhido Abrantes para iniciar estas celebrações (…) Inclusivamente a Câmara já adquiriu a casa onde Maria de Lourdes Pintasilgo nasceu e queremos num futuro muito próximo começar a recuperação dessa habitação e transformá-la numa casa de memória do passado que pretenda cuidar o futuro. Vamos colocá-la ao serviço da Rede Especializada de Intervenção na violência para podermos ajudar todos e todas”, garantiu.

Na cerimónia, o pensamento de Maria de Lourdes Pintasilgo foi abordado pelo sociólogo, investigador e professor da Universidade de Coimbra e também deputado à Assembleia da República pelo Bloco de Esquerda, José Manuel Pureza que tem afirmado em intervenções publicas que o país “tem uma dívida por saldar” com a antiga primeira-ministra.

O responsável disse que “Pintasilgo detestava a simplificação e o pensamento fácil que acantona a realidade em gavetas arrumadinhas (…) Certamente pela verticalidade e pelo seu desassombro no modo de encarar a complexidade das coisas, foi sempre uma cultora da não fronteira” (…) A defesa de uma democracia completa, paritária, alicerçada ao conhecimento e á transformação (…) valeu-lhe a desconsideração do Portugal pequenino e mesquinho (…) que não perdoou o facto de ter sido interpelado por uma mulher inteligente e irreprimivelmente livre”.

Usaram também da palavra a presidente da Fundação Cuidar o Futuro, Margarida Santos, Maria António Coutinho, representante do Graal e a presidente da Plataforma Portuguesa Para os Direitos das Mulheres.

No final da sessão, Maria do Céu Albuquerque deixou “um balanço muito positivo”. E realçou que o momento foi “ter a sociedade civil aqui na organização de uma homenagem a uma grande mulher, que nasceu em Abrantes”. E foi “ter o Governo associado a esta iniciativa e a comprometer-se com Abrantes e com a sociedade civil na ampliação daquilo que é o pensamento desta mulher, que na época era uma futurista”.

Na sessão foi apresentada a 2ª edição do relatório Cuidar o Futuro que brevemente poderá ser consultado on-line http://plataformamulheres.org.pt/. E foram dados a conhecer os objetivos do projeto ‘Ouvir o Presente, Cuidar o Futuro: Homenagear Maria de Lourdes Pintasilgo’ que decorre até 2019.

Na página do projeto é possível ler-se que o projeto pretende,  “disseminar o legado de Maria de Lourdes Pintasilgo enquanto figura cívica, pública e política de relevo a nível nacional e internacional; Aprofundar, reforçar e democratizar o conhecimento e o reconhecimento da ação e do pensamento inovador de Maria de Lourdes Pintasilgo; Promover a ação e a mobilização social, especialmente das mulheres, a partir da reflexão de Maria de Lourdes Pintasilgo; Identificar pistas sobre novas propostas de organização social e de um novo compromisso coletivo para com o futuro, utilizando o pensamento e a metodologia de consulta e envolvimento social defendida por Maria de Lourdes Pintasilgo e Contribuir para a concretização de uma homenagem nacional a Maria de Lourdes Pintasilgo que reconheça adequadamente o seu papel pioneiro e inovador na sociedade portuguesa”.

2018-01-19