Antena Livre
Deseja receber notificações?

Abrantes: Há mais animais a entrar no canil do que a sair - Dia Mundial dos Animais

4/10/2023 às 16:41

No dia 4 de outubro, é celebrado o Dia Mundial dos Animais. Esta data é relembrada anualmente e corresponde ao dia de São Francisco de Assis, o santo padroeiro da ecologia e dos animais. Com este dia pretende-se chamar a atenção para a condição de bem-estar dos animais, mobilizando, assim, uma “força global para tornar o mundo num lugar melhor para todos os animais”.

De acordo a dados divulgados pela DGAV (Direção-Geral de Alimentação e Veterinária), os centros de recolha oficial (CRO) recebem, por ano, mais de 30 mil animais abandonados. Assim, Celeste Simão, vereadora da Câmara Municipal de Abrantes com responsabilidade pelo pelouro do Ambiente e pelo Canil/Gatil Intermunicipal, falou, neste dia dos animais, sobre os abandonos existentes no concelho e, em como o Canil/Gatil está a tentar encontrar famílias para a adoção dos mesmos.

A vereadora, explicou que o número de adoções tem aumentado, mas o foco são os animais jovens, já que, os “animais mais idosos ficam para trás.” Esta situação desperta muita preocupação uma vez que “o número de adoções deveria ser muito maior, porque todos os animais que são resgatados entram no canil, mas o número que entra consegue ser sempre superior ao número que sai”, para isto se tem apelado à sensibilização das pessoas para combater esta situação: “O número de adoções tem aumentado, mas nos animais jovens, porque os animais mais idosos são aqueles que vão permanecendo ao longo dos anos no canil. É evidente que as famílias quando vão buscar um animal, querem sempre um cão pequenino. Temos agora, um exemplo de uma cadela que vamos resgatar. Por acaso não é no nosso concelho, mas vai trazer com ela sete crias, as quais são facilmente adotadas. Mas a mãe, provavelmente, porque é uma cadela mais velha, irá permanecer no nosso canil. Portanto, isto é um problema que temos combatido ao longo do tempo, penso que já demos grandes passos, mas ainda há muito a fazer, é evidente”, indica a vereadora Celeste Simão.

Por outro lado, a vereadora, falou também, no aumento de abandono de animais no período de férias. Há uns anos, este ato de abandono, era “normal” e existiam tanto gatos como cães nas ruas a serem resgatados nesta altura ano. Hoje, este abandono tem diminuído, já que, segundo a vereadora, nos relatórios mensais, não se tem registado “um grande aumento (de abandono) nas férias”, sendo uma situação que ocorre de igual forma ao longo do ano.

O problema existente, e que também é preocupante, é o “segundo abandono”. Ou seja, quando um animal é devolvido ao canil algum tempo após ser adotado pela primeira vez. A vereadora Celeste Simão, assegurou que está é uma realidade preocupante e que está sobre atenção, mas explicou, que, por outro lado, existem adoções responsáveis: “Há animais que são adotados, mas quando as famílias percebem que ter um animal é como se mais uma pessoa entra na família. Por isso, quando notam que dá um bocadinho mais de trabalho acabam por ir novamente entregá-lo ao canil. Isto é uma preocupação que nós vamos estando atentos, mas de qualquer das maneiras tem havido adoções responsáveis e até por parte de jovens e crianças que pedem aos pais para terem um animal em casa”.

Desta forma e para incentivar a adoção, há dois anos, foi criada uma estrutura para que os animais possam estar em eventos “onde se adapte a presença dos animais.” Celeste Simão indicou ainda que é “trazer o canil para a rua para mostrar as pessoas que ele existe e que é preciso que olhem para estes animais, também, de uma forma especial.” E um exemplo disto, foi o Festival das Juventudes, onde o Canil esteve presente e onde conseguiram encontrar casa para vários cães. Esta iniciativa tem contribuído bastante no aumento das adoções, não só em Abrantes como nos outros dois concelhos: “A primeira vez que estivemos presentes com o canil no Festival das Juventudes, estava em determinada altura do evento, porque durante os concertos, pelo barulho, é evidente que os animais não podem estar lá. Mas quando os jovens saíam dos autocarros e começavam a entrar no Parque de São Lourenço, a primeira coisa aonde eles se dirigiam era exatamente a esta estrutura para ver os animais. A primeira experiência foi que no primeiro dia do festival, onde foi adotado um animal por uma jovem, e depois ficaram mais dois animais sinalizados. Posteriormente foram levantá-los ao canil porque é preciso tratar da documentação para os entregar às famílias. Com isto, temos notado isso, que de alguma forma as pessoas já começam a conhecer melhor, que existe ali uma estrutura que pretende tratar bem dos animais, mas também pretende que eles adquiram uma família. É evidente que isto dá resultados, não só em Abrantes como nos outros concelhos também”, salienta a vereadora Celeste Simão.

A vereadora, referiu, ainda, que da mesma forma em que existe uma preocupação pelos cães, também existe pelos gatos. Para estes animais também existe um programa onde os gatos são capturados, esterilizados e depois devolvidos as suas colónias: “Nós focamo-nos muito na questão dos cães, mas há uma preocupação também pelos gatos, que temos muitos por aí. Temos em funcionamento o programa da captura, esterilização e devolução. Sendo que estes são animais que não ficam depois no canil e como temos colónias por todo o território, este programa responsabiliza por esses animais quem trata deles, com visitas regulares da nossa parte. Temos já concluídas 31 colónias neste momento, porque quando os capturamos temos que os esterilizar e depois voltar a pôr na colónia, e iniciamos agora oito e temos algumas referenciadas que ainda não conseguimos iniciar, mas isto também é um projeto muito importante”.

No fim, Celeste Simão, deixou um alerta sobre a alimentação dos animais nas ruas, mais especificamente aos gatos: “Deixava aqui o alerta de que ao alimentarem os animais na rua, os gatos, temos que ter alguns cuidados. É preferível sinalizar e nós fazemos a recolha, esterilizamos e depois devolvemos (...) nós estamos a tratar também neste momento, de criar umas casinhas para deixar nestas colónias, para estes animais ficarem devidamente protegidos.”

Ambulância fora de serviço vai ser adaptada para recolha de animais

No dia 11 de abril deste ano foi aprovado, por unanimidade, em reunião de Câmara, a restauração de uma ambulância de socorro, que havia sido cedida à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, a qual passaria, depois de ser transformada, para o socorro e transporte de animais doentes ou maltratados. 

Relativamente a este assunto, a vereadora Celeste Simão, explicou que ainda não há nenhuma data ou previsão para que a ambulância esteja operacional. Destacou também, que a mesma se encontra em reparações, onde será mudado o visual e modificada para o cumprimento das suas funções: “Ainda, não está operacional, não conseguimos, ainda, ter uma data ou previsão. Foi preciso retirar (do interior) tudo aquilo que é indicativo de uma ambulância, porque esta não pode circular na estrada dessa forma. Não será, propriamente, de uma ambulância porque não podemos dar esse nome a este transporte que vai ser para resgate de animais, nomeadamente, acidentados. Mas é preciso equipar, e nós estamos a tratar de esse processo. Isto carece também de autorizações do IMT (Instituto de Mobilidade Terrestre).”

Este dia foi criado para relembrar a importância que os animais têm no planeta terra e que destaca também o compromisso que todos deveriam ter com o meio ambiente, assim como o respeito que se lhe deve aos animais.

Jade Garcia

 

Partilhar nas redes sociais:
Partilhar no X
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - junho 2024
Jornal de Abrantes - junho 2024
PUB