ESPECIAL COVID-19

Mação: Centro de Atividades Ocupacionais pronto em dois meses (C/ÁUDIO)

2020-07-16

O Centro de Atividades Ocupacionais (CAO) de Mação está em avançado estado de construção, podendo estar concluído dentro de dois meses. Trata-se de um projeto que começou há três anos, fruto de uma parceria entre o Município de Mação e o Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA).

A ideia passou por ter um centro que pudesse ser uma mais-valia para os portadores de deficiência do concelho de Mação, e não só, que todos os dias viajam para o CRIA, em Abrantes, onde têm a sua ocupação.

Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação, recuou no tempo para lembrar os primórdios desta ideia que começou a ganhar forma quando os Bombeiros Voluntários de Mação inauguraram o novo quartel. O antigo quartel ficou disponível e poderia ser alvo de uma requalificação para um outro serviço comunitário, tal como tinha vindo a acontecer desde a sua construção nos anos 50.

O presidente da autarquia recordou a reunião que teve, em conjunto do Nelson de Carvalho, presidente da direção do CRIA, com o ministro Vieira da Silva, que tinha a tutela da Segurança Social no anterior governo. E revelou o interesse que o governante mostrou neste projeto que viria a ganhar corpo algum tempo depois.

A Câmara Municipal de Mação firmou então um protocolo com o CRIA para a criação deste CAO com a vertente ocupacional, com capacidade para 30 utentes, e lar/residencial, com capacidade para 20 utentes. O CRIA vai ter a responsabilidade de, em conjunto com a Segurança Social, operacionalizar o serviço, enquanto que ao município cabe a construção das instalações.

E é isso que está a acontecer, mesmo com alguns atrasos motivados pelo período de contenção da COVID, a obra está quase pronta. Trata-se da adaptação do antigo Quartel dos Bombeiros a esta nova funcionalidade que terá no rés-do-chão os serviços, no primeiro andar o centro ocupacional e no segundo a área do lar/residencial. É um investimento, com o equipamento, da ordem de um milhão de euros comparticipado em cerca de 30 por cento através do Plano de Ação para a Reabilitação Urbana (PARU).

Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação

Vasco Estrela revelou que o objetivo é a Câmara ter tudo pronto daqui a cerca de dois meses para poder entregar a chave ao CRIA para que possa avançar então o processo de instalação dos serviços. Vasco Estrela diz que a gestão será do Centro de Recuperação e Integração de Abrantes, mas que os utentes do CRIA do concelho de Mação, pressupõe, passem a deslocar-se para o CAO quando estiver a funcionar.

Quanto a recursos humanos, essa responsabilidade será do CRIA, em conjunto com a Segurança Social, pois existem regras apertadas e rácios concretos para a abertura destes equipamentos.

Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação

A visita ao CAO de Mação aconteceu na manhã desta quinta-feira e contou com a presença do diretor distrital da Segurança Social de Santarém, Renato Bento, que se inteirou de todo o processo com a equipa técnica da autarquia, com o arquiteto, Lourenço Gomes, e com o empreiteiro, Fernando Clarinha.

Nelson de Carvalho reforçou a necessidade deste equipamento num trabalho de parceria com diversos anos. Agora que o CAO está no bom caminho o presidente da direção do CRIA salientou o trabalho de reorientação técnica que terá de ser feito, mas haverá uma transferência de utentes de Abrantes para Mação, naturalmente. Nelson de Carvalho revelou depois que abre a possibilidade de poder acolher mais utentes, havendo uma lista de espera para os pedidos existentes nas respostas sociais nesta área, principalmente na vertente lar / residencial.

Nelson Carvalho, presidente direção do CRIA

Quando aos recursos humanos, Nelson de Carvalho, vincou que as regras para estas questões existem e estão definidas no âmbito da Segurança Social. Os ajustamentos serão tratados na altura certa.

Nelson Carvalho, presidente direção do CRIA

Renato Bento, diretor distrital da Segurança Social de Santarém acompanhou de perto a visita, de uma estrutura necessária na região e no país. Aos jornalistas disse que o distrito até está bem servido destas estruturas. Quanto ao futuro, depois de tudo pronto, caberá à Segurança Social fazer o licenciamento do CAO de Mação e afinar as transferências financeiras para que o mesmo possa funcionar e possa reduzir a logística que existe atualmente de transportar os utentes de Mação para Abrantes.

Renato Bento, diretor Segurança Social Santarém

O CAO de Mação deverá ter a obra de construção civil concluída dentro de dois meses. Depois caberá ao CRIA e à Segurança Social a sua operacionalização. É um investimento de um milhão de euros da autarquia, com comparticipação de 30% através do PARU, e fica pronto a receber 20 utentes no lar / residencial e 30 no centro ocupacional.

2020-07-16