Agricultura: Timac Agro quer capacitar setor agrícola a enfrentar desafios climáticos

16/06/2022 às 10:00

A empresa Timac Agro vai lançar, em parceria com o Instituto Superior de Agronomia, um curso de capacitação em nutrição vegetal que visa "habilitar" o setor agrícola a "enfrentar" desafios relacionados com as alterações climáticas e a autossuficiência. 

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Instituto Superior de Agronomia (ISA), António Brito, afirmou que o curso pretende "providenciar conhecimento e assistência ao setor agrícola" no domínio da nutrição vegetal, isto é, ao nível da adubação das plantas. 

"Atualmente, a metodologia que se deve usar não é a mesma de outras décadas. As preocupações hoje são muito diferentes", disse, lembrando que é uma prioridade "reduzir o impacto da agricultura" e que tal implica "olhar" para os fertilizantes e para as consequências que deles advêm. 

Manter a qualidade do solo, recurso natural "escasso" e que está intimamente relacionado com a nutrição e produtividade, é outra das prioridades no setor agrícola, assim como a "reciclagem de nutrientes", a estrutura do solo e a água.

"Este termo 'nutrição vegetal' abrange várias camadas de conhecimento e estamos satisfeitos por podermos transferir este conhecimento", referiu. 

António Brito destacou ainda que, face aos desafios que o mundo vive atualmente, como a pandemia da covid-19, a guerra na Ucrânia e a "assimetria de recursos", este curso, que terá uma duração de 18 meses e 150 horas de formação, torna-se "muito relevante". 

O curso de capacitação em nutrição vegetal, que arranca no final de junho e é um dos 19 cursos que o instituto vai lançar nos próximos quatro anos para o setor agrícola, decorre até dezembro de 2023, e terá, nesta primeira fase, como destinatários cerca de 80 colaboradores da Timac Agro Portugal. 

Também à Lusa, o diretor-geral da Timac Agro, Marco Morais, esclareceu que a formação do setor agrícola é uma "aposta segura" e permitirá dar "ferramentas" ao agricultor para enfrentar alguns desafios, como "produzir na quantidade necessária e com a qualidade que o mercado e os consumidores exigem".

"A nossa equipa tem de estar preparada para quando visita um agricultor poder ajudá-lo a responder a estes desafios", observou, dizendo que, o objetivo é depois tornar o curso mais abrangente e incluir agricultores, técnicos do setor e jovens alunos.

Além de ser "uma ferramenta" para ajudar a mitigar os impactos ao nível das alterações climáticas, o curso permitirá "tornar o setor "mais autossuficiente".

"Esta capacitação em nutrição vegetal é mais uma ferramenta que podemos dar, não só à nossa equipa, mas futuramente, ao mercado, de como podemos ter agricultores mais preparados para nutrirem bem as suas culturas com os mínimos de recursos e isso é possível, uma vez que passa por reduzirmos a nossa dependência de determinadas matérias-primas", salientou, notando que a guerra na Ucrânia foi um "abanão" nesse sentido. 

A primeira semana de formação presencial decorre no final de junho e será orientada por professor do ISA e da Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS). 

 Para assinalar o arranque do curso, que resulta de uma parceria entre a Timac Agro, o ISA, a AGRO.GES e a PH+ Desenvolvimento de Potencial Humano, irá decorrer, no dia 21 de junho, no ISA, um debate, intitulado 'O conhecimento na agricultura do futuro', que contará com a presença da presidente mundial da Timac Agro, Karina Kuzmak e a ministra da Agricultura e da Alimentação, Maria do Céu Antunes. 

Lusa

Partilhar nas redes sociais:
PUB
Capas Jornal de Abrantes
Jornal de Abrantes - novembro 2022
Jornal de Abrantes - novembro 2022
PUB