ESPECIAL COVID-19

Autarcas do Médio Tejo alertam para não fazerem testes rápidos à COVID-19

2020-04-02

Depois do alerta e pedido da Delegada de Saúde do Médio Tejo para que os cidadãos não façam os testes rápidos que dizem detetar a COVID-19 em 15 minutos porque não são fiáveis nem estão acreditados pelo INSA – Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, que a Antena Livre deu conta esta manhã, agora são os autarcas do Médio Tejo a fazer este pedido.

Segundo uma nota da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) recebida esta tarde nas redações os autarcas estiveram reunidos por videoconferência e terão mostrado muitas preocupações em relação à publicitação de testes rápidos que “anunciam detetar a COVID-19 em 15 minutos”.

A CIMT rebela que na reunião de hoje “foi dada a conhecer uma informação proveniente da Unidade de Saúde Pública do ACES Médio Tejo acerca destes testes rápidos”.

A CIMT revela que a informação do ACES Médio Tejo “que estes testes rápidos, que dão uma resposta em 10-15 minutos, não devem ser realizados na época que estamos a viver. Simplesmente, poderão ser úteis para fins científicos, depois de ultrapassada a pandemia. Explica o ACES Médio Tejo que se tratam de testes que detetam anticorpos (as nossas defesas) que só estão presentes no organismo do ser humano após 10 a 12 dias do contacto com o antigénio (agente agressor). Assim, os resultados negativos poderão dar uma falsa segurança em relação ao vírus COVID-19.”

Os autarcas do Médio Tejo voltaram a manifestar “a sua preocupação em encontrar soluções que mitiguem a pandemia e vão continuar em contacto permanente. O apelo é para que todos os cidadãos se mantenham informados, para que cumpram todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde e para que seja mantida a serenidade neste momento difícil que o país atravessa.”

 

2020-04-02