ESPECIAL COVID-19

Valorizar artes e ofícios tradicionais para criação de emprego e fixação de população (C/ÁUDIO)

2021-04-11

O Executivo Municipal ratificou o despacho do presidente da Câmara de Abrantes que aprovou o protocolo de parceria entre a TAGUS, coordenadora da parceria e os parceiros Municípios de Abrantes, Constância e Sardoal, no âmbito de uma candidatura ao programa FEDER - Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional -, para a execução, em parceria, da estratégia de valorização das artes e ofícios tradicionais do Ribatejo Interior.

A candidatura irá focar-se na valorização das artes e ofícios tradicionais do Ribatejo Interior, procurando dinamizar um conjunto de iniciativas que contribuam por um lado, para a sua preservação e, por outro, para a sua diferenciação e adaptação às necessidades atuais, complementando a oferta dos produtos turísticos do Médio Tejo. Visará ainda potenciar a oferta turística existente na expetativa de, através destes ativos, “contribuir para a atração de novos públicos, para o aumento de visitantes e da estada média de turistas e, por conseguinte, para a afirmação e maior competitividade deste destino”. Será também um forte contributo para sensibilizar os artesãos para o trabalho conjunto e para o cruzamento das diferentes artes, permitindo o aparecimento de novas áreas de expressão e de criação cultural e artística. Salienta-se ainda que esta intervenção pode representar novas oportunidades de criação de emprego e, consequentemente, contribuir para a fixação da população, também um dos desígnios assumidos por esta associação de desenvolvimento local na sua estratégia territorial que, na candidatura, afirma ainda que o objetivo temático é “promover a integração social e combater a pobreza e qualquer discriminação”.

E ser um atrativo para que faixas etárias mais novas, cada vez mais despertas para esta temática, possam apostar nesta área, evitando-se que muitos dos usos e costumes desapareçam dada a idade avançada dos “mestres artesãos”, que fiquem obsoletos e que a identidade territorial possa ficar comprometida pela perda da sua autenticidade.

Conceição Pereira, coordenadora da Tagus

Em suma, com a presente candidatura, pretende-se alcançar 4 objetivos: 1 - Valorizar as artes e ofícios tradicionais do Ribatejo Interior, enquanto elementos diferenciadores deste território, que contribuem para o aumento da sua competitividade territorial, dinamização turística, cultural e económica; 2 – adaptar as artes e ofícios às tendências atuais de mercado e a novas áreas de expressão, criação cultural e artística; 3 - complementar a oferta dos produtos turísticos integrados do Médio Tejo, tornando a experiência do visitante mais enriquecedora e atrativa, pela possibilidade de conhecer a cultura do Ribatejo Interior refletida nas diferentes manifestações artesanais, na maior proximidade e contacto com as comunidades e territórios; 4 - fomentar o trabalho em rede daqueles que contribuem para a preservação das tradições locais e dos que estejam interessados em investir nesta área, abraçando o artesanato do Ribatejo Interior como seu novo projeto de vida.

Conforme definido no protocolo, o investimento previsto na operação será financiado a 85%, no valor máximo de 61.591,69 euros, cofinanciado pelo FEDER, sendo que os parceiros se comprometem a financiar os 15% remanescentes, na proporcionalidade de 50% pelo Município de Abrantes (no valor de 5.434,55 euros) e os restantes 50%, divididos pelos Municípios de Constância e de Sardoal, no valor de 2.717,28 euros, cada.

2021-04-11